Pence promete buscar solução para crianças detidas nos Estados Unidos

Após pedido de temer, vice americano não explicou como pretende resolver a questão

O presidente brasileiro Michel Temer e o vice dos EUA, Mike Pence (dir.), durante encontro em Brasília
O presidente brasileiro Michel Temer e o vice dos EUA, Mike Pence (dir.), durante encontro em Brasília - Pedro Ladeira/Folhapress
Patrícia Campos Mello Gustavo Uribe
Brasília

​O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, prometeu nesta terça-feira (26) que buscará uma solução para o problema das 51 crianças brasileiras detidas nos Estados Unidos que foram separadas de seus pais.

Em reunião no Palácio do Planalto, durante visita oficial do americano, o presidente Michel Temer sugeriu que o governo brasileiro possa buscar as crianças cujas famílias prefiram deixá-las com parentes no Brasil.

No encontro, Pence disse que a questão migratória é uma grande preocupação dos Estados Unidos, mas ressaltou que uma resposta para o assunto será dada o mais breve possível.

​De acordo com presentes, Temer afirmou que a detenção das crianças brasileiras é um tema sensível, preocupante e precisa de uma solução célere. Ele adotou estilo diplomático na cobrança, evitando criticar a política migratória norte-americana e se concentrando na questão das crianças brasileiras.

O encontro entre os dois durou cerca de uma hora. A abordagem ocorreu longe das câmeras da imprensa, em um momento reservado do encontro.  Nos próximos dias, o americano se reunirá também com os presidentes da Guatemala, Honduras e El Salvador para discutir a questão das famílias detidas nos Estados Unidos.

No início, na frente dos jornalistas brasileiros, fizeram questão de trocar gentilezas. Pence expressou solidariedade pela situação dos refugiados e afirmou que apoia o Brasil no esforço de restaurar a democracia venezuelana.

Segundo relatos, porém, Pence não explicou de que maneira pretende solucionar a questão das separações, que ocorrem em decorrência da política de tolerância zero do presidente Donald Trump contra a imigração ilegal.  

A política, feita em abril, estabelece que todo adulto que tenta entrar irregularmente nos EUA deve ser detido e enviado para um presídio federal para aguardar o julgamento de seu caso. Como as crianças não podem ir para esses estabelecimentos, acabam separadas dos pais e enviadas para abrigos espalhados pelo país. 

A separação gerou uma onda de críticas contra a gestão Trump e obrigou o presidente a recuar, assinando uma ordem executiva para manter pais e filhos juntos durante o processo. Na segunda (25), o governo anunciou que vai suspender a aplicação da política de tolerância zero contra família de imigrantes.  

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.