Descrição de chapéu drogas Donald Trump

Trump comuta sentença de condenada a prisão perpétua após pedido de Kardashian

Alice Marie Johnson, 63, está presa há mais de 20 anos por tráfico e não podia receber condicional

Washington

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira (6) o indulto a uma mulher condenada à prisão perpétua por narcotráfico cujo caso foi alvo de campanha da estrela de reality show Kim Kardashian West.

Mesmo sem ser um perdão, a decisão abrevia a pena de Alice Marie Johnson, 63, detida há 22 anos em uma penitenciária federal do Alabama sem direito a liberdade condicional após condenação por lavagem de dinheiro e venda de cocaína em uma quadrilha

O presidente dos EUA, Donald Trump, recebe Kim Kardashian West na Casa Branca
O presidente dos EUA, Donald Trump, recebe Kim Kardashian West na Casa Branca - Twitter/Reprodução

Com a intervenção de Trump a pedido de Kardashian, ela será solta.

Johnson usou uma sessão de visita na cadeia para gravar, por meio de um telefone e com ajuda de seu visitante, um vídeo no qual descreve seu caso, se diz arrependida, alega boa conduta e pede clemência. Ré primária, ela afirma que se tornou dramaturga na prisão e defende a reforma do sistema de justiça criminal no país.

Tocada pelo vídeo, Kardashian abraçou a causa que já tinha apoio do ator e diretor Sylvester Stallone e foi na semana passada à Casa Branca se reunir com o genro de Trump, Jared Kushner, que supervisiona um projeto de reforma prisional do governo. Acabou sendo recebida pelo presidente no Salão Oval. 

Johnson já tivera seus recursos negados pela Suprema Corte e a clemência negada pelo antecessor democrata de Trump, Barack Obama.

A decisão do republicano é a mais recente de uma série de perdões e indultos presidenciais que já beneficiou o comentarista político conservador Dinesh D'Souza, condenado por violar a lei eleitoral, e perdoou postumamente o boxeador negro Jack Johnson mais de cem anos depois de ele ser condenado em um julgamento considerado racista. 

O republicano perdoou ainda o xerife Joe Arpaio, que fora condenado por desobedecer uma ordem judicial para parar de deter imigrantes sem razão legal, e Lewis "Scooter" Libby, chefe de gabinete do então vice-presidente Dick Cheney (2001-09) que vazou o nome de uma agente secreta da CIA para se vingar do marido dela, um diplomata que desmentira alegações do governo Bush sobre o Iraque. 

Em maio, Trump sugeriu ainda que poderia perdoar o ex-governador de Illinois Rod Blagojevich, condenado a 14 anos de prisão por corrupção, e a apresentadora e empresária Martha Stewart, que ficou cinco meses presa por usar informação privilegiada para lucrar no mercado financeiro.

Associated Press
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.