Homem é hospitalizado e urso abatido após ataque no Ártico

Incidente ocorreu neste sábado (28) no arquipélago norueguês de Svalbard

Urso polar abatido na praia em Sjuøyane, norte de Spitzbergen, na Noruega - Gustav Busch/AFP
Oslo (Noruega)

Um homem foi ferido por um urso polar, que acabou sendo abatido, no arquipélago norueguês de Svalbard, no Ártico, informaram neste domingo (29) autoridades norueguesas.

O homem, funcionário da empresa alemã Hapag-Lloyd Cruises de cerca de quarenta anos, trabalhava no navio MS Bremen no momento do incidente.

No sábado (28), ele estava a bordo de um barco com um grupo de turistas para chegar à costa, quando, logo após o desembarque, um urso polar o atacou "inesperadamente", disse a empresa.

"O urso foi morto a tiros por outro funcionário que estava no barco", afirmou à AFP o comissário Ole Jakob Malmo na ilha de Spitzberg, onde ocorreu o incidente.

A companhia Hapag-Lloyd Cruises fala de um ato de "autodefesa". "Lamentamos muito este incidente", declarou Moritz Krause, porta-voz da empresa.

A vítima foi "levada de helicóptero para Longyearbyen antes de ser transferida para Tromsø à noite", acrescentou Malmo.

Seu estado é estável e ele não corre risco de morte, informou o hospital de Tromsø. Uma investigação também foi iniciada para determinar as causas do incidente.

Hapag-Lloyd Cruises explica que recebeu permissão das "autoridades locais" para atracar. Uma autorização confirmada pelo comissário Malmo. 

"Os desembarques só são possíveis em alguns lugares [do arquipélago]", acrescentou Krause.

SVALBARD

Em Svalbard, os ursos vivem livremente em todo o território. Durante este tipo de excursão, a empresa deve ter certeza de ter homens para proteção contra os ursos polares, responsáveis ​​pela verificação da área antes do desembarque.

Normalmente, "assim que um animal se aproxima, o desembarque é interrompido imediatamente", indicou Krause.

Localizado a 1.000 quilômetros de distância do Polo Norte, Svalbard é o lar, segundo uma contagem de 2015, de 1.000 ursos polares, uma espécie protegida desde 1973.

Cinco ataques mortais contra humanos foram contabilizados em 40 anos. O último ataque fatal foi em 2011, quando um urso atacou um grupo de 14 pessoas que estava acampando em uma viagem organizada pela British Columbia School of Exploration. 

Um britânico de 17 anos morreu e quatro membros da expedição ficaram feridos antes de o urso ser abatido. 

AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.