Homem envenenado com mesma substância de ex-espião russo deixa hospital

Parceira dele, que também foi exposta à substância, morreu no início deste mês

Policial fica de guarda na frente da casa de Charlie Rowley, em Amesbury, no sul da Inglaterra
Policial fica de guarda na frente da casa de Charlie Rowley, em Amesbury, no sul da Inglaterra - Geoff Caddick - 4.jul.2018/AFP
Londres

Charlie Rowley, um dos dois britânicos envenenados com o agente nervoso Novitchok no mês passado, recebeu alta do hospital nesta sexta-feira.

Rowley, de 45 anos, e Dawn Sturgess, de 44, adoeceram depois de serem expostos ao veneno no sudoeste da Inglaterra, perto de onde o agente duplo russo Serguei Skripal e sua filha Iulia foram atacados com a mesma substância em março.

"Tenho a satisfação de confirmar que hoje cedo Charlie Rowley recebeu alta hospitalar. Charlie passou por uma experiência terrível que a maioria de nós nunca poderia imaginar", disse Lorna Wilkinson, diretora de enfermagem do Hospital Distrital de Salisbury, em um comunicado.

Sturgess morreu no início deste mês e sua morte está sendo tratada como assassinato.

O Reino Unido culpou a Rússia pelo envenenamento dos Skripals. O Kremlin negou envolvimento e o incidente provocou expulsões diplomáticas.

A polícia disse que a fonte do Novichok que matou Sturgess era uma pequena garrafa que encontraram na casa de Rowley, e mais de 400 itens foram recuperados como parte da investigação de assassinato.

Novitchok é um agente neurotóxico desenvolvido pela União Soviética durante a Guerra Fria. 

A polícia acredita que o casal tenha manuseado um objeto contaminado com uma alta dose da substância, embora não seja possível determinar se o agente neurotóxico é do mesmo lote do usado contra o ex-espião russo e sua filha.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.