Imigração da UE para o Reino Unido cai ao menor nível em cinco anos

Preocupação com imigração foi uma das razões pelas quais os britânicos votaram pelo 'brexit'

Controle de fronteira no terminal 2 do aeroporto de Heathrow, em Londres - Neil Hall - 3.jun.14/Reuters
Londres | Reuters

 

O nímero de imigrantes da União Europeia chegando ao Reino Unido caiu ao nível mais baixo em cinco anos em 2017, estatísticas oficiais mostraram nesta segunda-feira (16). 

A preocupação com altas taxas de imigração foi uma das principais razões pelas quais os britânicos votaram a favor de deixar a UE, e a primeira-ministra Theresa May prometeu manter restrições ao livre movimento de cidadãos do bloco depois que o Reino Unido concretizar o "brexit", em 2019.

Empresários, no entanto, preferem regras de imigração menos rígidas para conseguir preencher vagas em um período de baixo desemprego, e muitos economistas avaliam que o Reino Unido se beneficia financeiramente da imigração. 

Os dados oficiais mostram que a imigração líquida de longo prazo de pessoas de todas as nacionais para o Reino Unido cresceu de 249 mil em 2016 para 282 mil em 2017, mas ainda ficou abaixo do recorde de 332 mil em 2015. 

Já a imigração de cidadãos da UE caiu de 133 mil em 2016 para 101 mil em 2017, quase metade do número que imigrou para o Reino Unido nos 12 meses antes do referendo do "brexit", segundo o órgão britânico de estatísticas nacionais. 

"O estimado número de cidadãos da UE vindo para o Reino Unido 'para procurar emprego' continuou a diminuir ao longo do ano passado e o número vindo para o Reino Unido com emprego fixo ficou estável", disse nota do órgão.

Madeleine Sumption, diretora do Observatório de Migração da Universidade de Oxford, disse que a queda provavelmente reflete o baixo desemprego na UE e a libra mais fraca, além das preocupações com o "brexit". 

"Os dados sugerem que o Reino Unido ainda é um país atraente, mas seu atrativo para migrantes da UE caiu consideravelmente nos últimos dois anos", afirmou. 

"Não é só o 'brexit': a imigração líquida da UE foi incomumente alta logo antes do referendo, e é provável que parte do declínio teria acontecido de todo modo mesmo se o Reino Unido não tivesse votado para sair", acrescentou. 

Na semana passada, o governo disse em um documento sobre seus objetivos na negociação do "brexit" que pretende controlar o número de imigrantes da UE chegando ao Reino Unido para administrar as preocupações da população com a pressão sobre os serviços públicos e os salários de trabalhadores de baixa renda. 

O Instituto de Diretores do Reino Unido disse que as empresas estão sofrendo com a falta de trabalhadores qualificados e instou May a manter as portas abertas à imigração. 

"O objetivo do governo para um esquema de mobilidade de trabalho ambicioso no pós-'brexit' é bem-vindo, mas também precisamos ver o governo criando uma política de migração positiva neste ano", afirmou o economista-chefe do instituto, Tej Parikh.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.