Secretário encarregado do 'brexit' pede demissão no Reino Unido

David Davis disse que ideias da primeira-ministra Theresa May atrapalham a negociação com a UE

Londres e São Paulo | Reuters

O secretário britânico responsável por negociar a saída do país da União Europeia, o "brexit", pediu demissão do cargo neste domingo (8) em uma carta em que criticou as políticas defendidas pela primeira-ministra Theresa  May para o assunto.

"A direção geral da política nos deixará, na melhor das hipóteses, numa posição de negociação fraca e possivelmente inescapável", disse David Davis em sua carta, que foi divulgada pelo escritório da primeira-ministra. A demissão tem efeito imediato.

"Na minha opinião, a consequência inevitável das políticas propostas será tornar o suposto controle pelo Parlamento ilusório, e não real" afirmou o agora ex-secretário (cargo equivalente a ministro no Brasil) no documento.

Em imagem de junho, David Davis deixa a residência do primeiro-ministro após reunião com Theresa May
Em imagem de junho, David Davis deixa a residência do primeiro-ministro após reunião com Theresa May - Daniel Leal-Olivas - 5.jun.2018/AFP

Além dele, dois de seus principais auxiliares também anunciaram que deixarão os cargos, disse o jornal The Guardian.

A saída de Davis é uma derrota de May, que na sexta (6) convocou o secretário e o restante do gabinete para uma reunião de 12 horas em sua residência de campo que tinha como objetivo diminuir as divisões internas dentro do Partido Conservador sobre a estratégia para o "brexit".

Assim, a demissão foi considerada uma surpresa e aumenta a pressão sobre May, em especial da ala do partido favorável a saída do país da União Europeia, que tinha em Davis um de seus principais representantes no gabinete.

Os britânicos decidiram em um plebiscito em junho de 2016 que deixariam o bloco, mas a saída acontecerá apenas em março de 2019. Durante esse período, Londres e Bruxelas vem tentando fazer um acordo para entrar em vigor após a separação, mas as negociações tem avançado com dificuldade. 

Entre os principais pontos de discussões está o acesso que os britânicos terão ao mercado europeu e a questão da fronteira entre a Irlanda (país independente que faz parte da União Europeia) e a Irlanda do Norte (parte do Reino Unido).

May propôs um tratado para a criação de uma área de livre comércio com a União Europeia e se comprometeu a manter no território britânico uma série de regras do bloco, o que irritou a ala do partido que defende um "brexit" mais radical. 

Foram essas ideias que Davis disse discordar em sua saída, afirmando que isso entregaria "o controle de grandes partes de nossa economia à UE e certamente não está devolvendo o controle de nossas leis".

"Parece que o interesse nacional requer um secretário de Estado em meu Departamento que seja entusiasta da sua abordagem, e não apenas um recruta relutante", disse ele na carta endereçada a May. 

A primeira-ministra respondeu também com uma carta, na qual afirmou que não concordava "com a caraterização de sua política do que foi acordado pelo gabinete na [reunião de] sexta-feira". Ela também elogiou Davis e o agradeceu por seu trabalho, mas não indicou quem será o substituto.  

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.