Polícia revela identidade de homem que jogou carro contra Parlamento em Londres

O britânico de origem sudanesa Salih Khater, 29, é denunciado por tentativa de homicídio

Londres | Reuters

O homem que jogou carro contra as grades do Parlamento britânico, em Londres, foi identificado nesta quarta-feira (15) como o britânico de origem sudanesa Salih Khater, 29.

Khater foi detido na terça sob suspeita de terrorismo e foi denunciado também por tentativa de homicídio.

"Estamos satisfeitos de saber a identidade do homem preso", afirmou a polícia britânica em nota. "A prioridade da equipe de investigação será entender a motivação por trás desse incidente." 

A polícia disse que as buscas no apartamento de Khater, na cidade de Birmingham, foram concluídas. Também foram investigadas outras três propriedades, duas em Birmingham e outra em Nottingham. 

Khater seria gerente de uma loja em Birmingham e teria estudado na Universidade Sudanesa de Ciência e Tecnologia. A Universide Coventry, no centro da Inglaterra, disse que ele estudou contabilidade entre setembro de 2017 e maio de 2018, mas não estava mais matriculado.

Ahmed Abdi, vizinho de Khater, disse que o reconheceu em imagens na TV e que "ficou chocado". 

"Ele era muito, muito quieto e nunca falava com ninguém", disse. 

A polícia afirmou ainda que o suspeito não era conhecido pelo serviço de inteligência ou de contraterrorismo. 

O caso aconteceu às 7h37 locais (3h37 de Brasília), quando o automóvel avançou contra pedestres e ciclistas, antes de bater nas barreiras diante do Parlamento. Nenhuma dos três feridos está em estado grave.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o momento em que policiais fortemente armados cercaram o veículo de cor prata, do qual retiraram o motorista, que foi algemado. As ruas ao redor do Parlamento em Westminster foram fechadas.

O Reino Unido foi cenário em 2017 de uma onda de atentados, quatro deles reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, que deixaram 36 mortos e 200 feridos.

Em um dos ataques, em março, Khalid Masood atropelou várias pessoas na Ponte de Westminster e avançou com o carro até as grades do Parlamento. 

Depois, Masood desceu do carro, entrou na área do Parlamento e esfaqueou até a morte um policial, antes de ser morto por outros agentes das forças de segurança.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.