Incêndios deixam mais de 25 feridos em região turística de Portugal

Apesar da queda na temperatura, cresce propagação das chamas por causa dos fortes ventos

Lisboa

Mais de 1.150 bombeiros foram destacados para combater os incêndios que já duram quatro dias na região turística do Algarve, no sul de Portugal, com o aumento da propagação das chamas pelos fortes ventos apesar da queda nas altas temperaturas. Ao menos 25 pessoas ficaram feridas na madrugada desta segunda-feira (6), informaram os serviços de emergência do país.

“É como um filme de terror. O céu está fechado e cheio de fumaça e cinzas em cada esquina”, disse Eulalia Nines, 46, do vilarejo de Monchique. 

João Furtado, 60, se escondeu na caixa d’água durante a madrugada enquanto sua casa pegava fogo. 
“Ele entrou em pânico porque estava preso em casa”, disse sua cunhada, Maria Helena Furtado. “Havia fogo em todo lugar e ele não conseguia sair.”

Desde o início dos incêndios, na sexta (3), 44 pessoas foram atendidas pelos serviços médicos, a maior parte com intoxicação pela fumaça ou com queimaduras leves. Uma mulher de 72 anos está em estado grave e foi transferida para Lisboa.  

Os bombeiros contam com o auxílio de helicópteros, aviões —incluindo dois emprestados pela Espanha— e mais de 300 veículos para tentar conter as chamas.  

O Exército mandou 160 soldados para ajudar na retirada dos moradores e dos visitantes das localidades de Monchique e de Foia. Diversos hotéis foram esvaziados as pressas durante o fim de semana —o turismo é uma das principais atividades no local. 

A previsão é que as temperaturas caiam a partir desta segunda em todo o país e fiquem abaixo dos 30ºC na região do Algarve. 

Durante o fim de semana, o país viveu uma onda de calor, com os termômetros chegando a 44°C em Lisboa, recorde dos últimos 37 anos, e a 46,8ºC em Alvega, no centro. No total, mais de 60% do país tiveram temperatura acima dos 40ºC.  

Até o momento não há registro de mortes em decorrência do fogo. No ano passado uma onda de incêndios deixou 114 mortos no país.  

Nas últimas semanas a temperatura alta causou problemas por toda a Europa, com incêndios na Grécia e na Suécia e com diversos países entrando em situação de alerta. Na Espanha, três pessoas morreram em decorrência do calor no fim de semana.

 
Reuters e Associated Press
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.