Carro avança sobre Parlamento britânico e polícia suspeita de terrorismo

Motorista foi detido pelas autoridades; ação deixou ao menos três pessoas feridas

Homens cobertos com roupa azul, dos pés à cabeça, olham atentamente para carro
Peritos investigam carro que atropelou pessoas e bateu em barreiras de segurança no Parlamento britânico nesta terça (14) - Frank Augstein/Associated Press
Londres | AFP e Reuters

Ao menos três pessoas ficaram feridas nesta terça-feira (14) quando um veículo bateu nas barreiras de segurança do Parlamento britânico em Londres, anunciou a polícia, que prendeu o motorista e classificou o caso como terrorismo.

O motorista foi identificado como um cidadão britânico de 29 anos de idade.

"Dado que isto parece um ato deliberado, o método, e isso sendo um ponto simbólico, estamos tratando como um incidente terrorista", disse o comissário-adjunto da Polícia Metropolitana de Londres, Neil Basu. 

Por isso, o Comando Antiterrorista da polícia assumiu a investigação, informou a Scotland Yard.

"Apesar de mantermos a mente aberta, o Comando Antiterrorista da Polícia Metropolitana lidera a investigação sobre o incidente de Westminster", afirmou a força de segurança.

Em comunicado, a polícia disse que o caso aconteceu às 7h37 locais (3h37 de Brasília), quando o automóvel avançou contra pedestres e ciclistas, antes de bater nas barreiras diante do Parlamento. Nenhuma das vítimas está em estado grave. 

Basu disse que o suspeito não está cooperando com a investigação. 

Toda a área do incidente foi isolada pelos agentes da polícia, mas autoridades disseram que a situação está controlada e que não há mais perigo na região. 

Três policiais armados olham na mesma direção, com o Parlamento ao fundo
Policiais em frente ao Parlamento após atropelamento que deixou feridos em Londres nesta terça (14) - Stefan Rousseau/PA via Associated Press

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o momento em que policiais fortemente armados cercaram o veículo de cor prata, do qual retiraram o motorista, que foi algemado. As ruas ao redor do Parlamento em Westminster foram fechadas.

Outros vídeos mostram o momento exato da detenção do motorista.

Diversas viaturas da polícia e ambulâncias foram enviadas às proximidades do Parlamento, assim como o esquadrão antibombas e cães farejadores. A estação de metrô de Westminster também foi fechada.

"Parecia um ato deliberado", afirmou Ewalina Ochab, que passava pela área no momento do incidente, à agência britânica Press Association. 

"Eu estava caminhando o outro lado. Ouvi um barulho e alguém gritou. Eu virei e vi um carro prata em alta velocidade e muito perto das barreiras, talvez sobre a calçada", disse. 

"A pessoa que dirigia o veículo não saiu", completou.

O Reino Unido foi cenário em 2017 de uma onda de atentados, quatro deles reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, que deixaram 36 mortos e 200 feridos. Um dos ataques aconteceu em março na Ponte de Westminster, que leva ao Parlamento.

O autor do atentado de março do ano passado, Khalid Masood, atropelou várias pessoas na ponte e avançou com o carro até as grades do Parlamento. 

Depois, Masood desceu do carro, entrou na área do Parlamento e esfaqueou até a morte um policial, antes de ser morto por outros agentes das forças de segurança.

Desde então uma barreira de segurança de cimento e aço foi instalada ao redor das grades do Parlamento e nas calçadas que levam à ponte.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.