Descrição de chapéu Governo Trump Coreia do Norte

Trump diz que conversa não avançou e cancela ida de secretário à Coreia do Norte

Presidente aponta China como parte do problema e afirma que desnuclearização não teve progresso

Washington | Associated Press

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (24) que determinou que o secretário de Estado, Mike Pompeo, cancele uma viagem à Coreia do Norte, dizendo que não houve progresso na negociação da desnuclearização do país.

O presidente americano Donald Trump na Casa Branca nesta sexta-feira (24)
O presidente americano Donald Trump na Casa Branca nesta sexta-feira (24) - Saul Loeb/AFP

O anúncio de que a viagem não acontecerá vem depois de Trump ter sido criticado por ter dito anteriormente que havia feito grandes progressos nas negociações com a ditadura norte-coreana.

"Pedi que o secretário de Estado Mike Pompeo não vá à Coreia do Norte agora, porque acho que não estamos fazendo progresso suficiente em relação à desnuclearização da península Coreana", escreveu Trump em rede social.

A decisão de Trump vem depois que a Aiea (Agência Internacional de Energia Atômica) divulgou relatório em que disse ter graves preocupações sobre o programa nuclear do país.

Nesta quinta-feira (23), Pompeo havia nomeado Stephen Biegun, executivo da montadora Ford, como enviado especial à Coreia do Norte e dito que eles visitariam o país na próxima semana. Há menos de dois meses, o republicano se encontrou em Singapura com o ditador norte-coreano, Kim Jong-un

Trump pareceu apontar a China como parte do problema, ao afirmar que o país não está ajudando os esforços de desnuclearização devido às disputas comerciais entre os EUA e Pequim

A China é o maior parceiro comercial da Coreia do Norte e acredita-se que Pequim tenha grande influência sobre o governo norte-coreano.

"Pompeo espera ir à Coreia do Norte em um futuro próximo, provavelmente depois que nosso relacionamento comercial com a China estiver resolvido. Nesse meio tempo, gostaria de enviar meus amigáveis cumprimentos e respeito a Kim. Espero vê-lo em breve!", escreveu Trump.

Depois de mais de um ano de tensões em alta com testes nucleares e de mísseis pela Coreia do Norte, e depois de os EUA terem imposto novas sanções ao país e Trump ter ameaçado Pyongyang com "fogo e fúria", o presidente americano fez história ao se encontrar com Kim em junho.

Na reunião, os dois líderes assinaram um comunicado vago em que a Coreia do Norte se comprometia a se desnuclearizar. "Não há mais ameaça nuclear da Coreia do Norte", disse Trump  depois do encontro. "Antes de eu assumir as pessoas achavam que íamos entrar em guerra com a Coreia do Norte. O presidente Obama disse que a Coreia do Norte era nosso maior e mais perigoso problema. Agora não mais —durmam tranquilos hoje!", acrescentou o republicano na ocasião.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.