Três pessoas morrem em ataque a tiros em Maryland (EUA)

Suspeita de ser autora dos disparos é uma mulher de 26 anos, que também morreu

Júlia Zaremba
Washington

Um ataque a tiros ocorrido na manhã desta quinta (20) em Perryman, dentro do condado de Harford,
em Maryland, deixou três pessoas mortas e outras três feridas, segundo a polícia local.

A autora dos disparos, Snochia Moseley, 26, também morreu. Ela atirou contra a própria cabeça após o crime e chegou a ser levada para um hospital, mas não resistiu. A identidade das outras vítimas não foi revelada.

Agentes foram acionados às 9h para responder ao incidente, ocorrido no prédio de um centro de distribuição de uma rede de drogarias, a Rite Aid, em uma região industrial a cerca de 110 km de Washington. 

Moseley era funcionária temporária da empresa. A polícia ainda não informou a motivação do crime. A Rite Aid tem em torno de 1.000 funcionários no local. 

Ataque a tiros no condado de Harford, no estado de Maryland, mobiliza forças de segurança - Jerry Jackson /The Baltimore Sun/Associated Press

Segundo o xerife de Harford, os policiais não dispararam tiros durante a ocorrência.

A Rite Aid tem em torno de 1.000 funcionários, segundo Pete Strella, porta-voz da empresa.

O governador de Maryland, Larry Hogan, escreveu em uma rede social que está "monitorando de perto o terrível ataque a tiros" e que "o estado está pronto para oferecer qualquer suporte".

Também disse que ele e a primeira-dama do estado "estão sofrendo pelas vidas perdidas" e "rezando para que os feridos se recuperem completamente."

Alexie Scharmann, 20, acordou com uma mensagem da mãe, Christine Scharmann, que trabalha no prédio onde ocorreu o ataque, dizendo que estava se escondendo de um atirador. "Fique bem e cuide do papai e dos animais caso aconteça alguma coisa", dizia um trecho da mensagem.

"Ela enviou a mensagem e não ouvimos mais nada dela por cerca de uma hora", contou Alexie. "Foi uma situação muito assustadora."

Depois, a mulher mandou uma nova mensagem afirmando que havia conseguido escapar.

A própria Alexie já trabalhou no prédio onde o crime ocorreu. Ela diz que não há detectores de metal na entrada e que dezenas de pessoas trabalham no edifício.

"O fato de pouca gente trabalhar lá foi o que mais me angustiou", conta. "Minha mãe poderia ter sido uma das vítimas."

Outros ataques ocorreram nas últimas horas nos Estados Unidos. Em Chicago um homem feriu quatro pessoas, incluindo um bebê, quando abriu fogo contra o carro de um homem com quem brigou no trânsito.

Nesta quarta (19), um ataque a tiros em um complexo de escritórios em Wisconsin deixou quatro pessoas feridas. No mesmo dia, um atirador feriu quatro pessoas na Pensilvânia. Os suspeitos foram mortos em ambos os casos.

Em outubro de 2017, três pessoas foram mortas e duas ficaram feridas durante um ataque em um complexo empresarial em Harford. Em 2016, dois xerifes foram mortos em um restaurante do condado.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.