Crianças migrantes capturadas nos EUA são levadas para tendas no Texas

Governo americano prepara translado em massa para acampamento para 3.800 pessoas

Dez crianças aparecem em fila em um corredor formado no meio entre 12 tendas, seis de cada lado. O local é visto do alto.
Crianças imigrantes formam fila em acampamento de tendas em Tornillo, no Texas, mantido pelo governo americano - Mike Blake - 19.jun.18/Reuters
Caitlin Dickerson

Centenas de crianças migrantes em abrigos espalhados pelos EUA foram despertadas no meio da noite nas últimas semanas e transportadas de ônibus para seu novo destino: uma cidade de tendas montada no deserto do Texas.

Até agora, a maioria das crianças mantidas em custódia pelas autoridades federais de imigração ficava em abrigos ou casas de acolhida particulares, com duas ou três crianças em cada quarto. Elas iam à escola e eram visitadas regularmente pelos representantes legais que acompanham seus processos de imigração.

Mas nas fileiras de tendas em Tornillo, no Texas, grupos de 20 crianças em cada tenda dormem em beliches, separadas por gênero. Não há escola, e o acesso a assessores jurídicos é limitado.

O governo federal enfrenta dificuldade em abrigar mais de 13 mil crianças migrantes —a maior população de migrantes menores de idade já vista, tendo seu número se multiplicado por mais de cinco desde o ano passado.

Segundo o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS), o tempo médio que as crianças migrantes passam sob custódia quase dobrou nesse mesmo período, passando de 34 dias para 59.

Para lidar com a população crescente dos abrigos, um traslado em massa está em curso. Mais de 1.600 crianças já foram transferidas. 

Para evitar fuga, os traslados são realizados tarde da noite e as crianças não são avisadas com antecedência.

O acampamento em Tornillo funciona como uma cidade temporária a 56 km de El Paso, na fronteira do México. Tendas com ar-condicionado e de tamanhos diversos são usadas para alojamento, recreação e atendimento médico, e há banheiros portáteis.

Aberto originalmente em junho para receber 400 menores pelo prazo de 30 dias, o acampamento foi ampliado em setembro para abrigar 3.800 crianças até o fim do ano.

Evelyn Stauffer, do HHS, disse que o fato de o acampamento ser necessário reflete problemas sérios no sistema de imigração. "O número de famílias e de menores estrangeiros desacompanhados detidos é um sintoma do problema maior, ou seja, um sistema imigratório falido."

"A idade desses menores e as viagens perigosas que empreendem os deixam vulneráveis ao tráfico de pessoas, à exploração e a abusos."

Mas as transferências em massa estão alarmando defensores de migrantes, que já estavam preocupados com os longos períodos que as crianças migrantes passam sob custódia.

Os cerca de cem abrigos que até agora eram os pontos principais onde eram alojadas crianças migrantes detidas são licenciados e monitorados pelas autoridades públicas de bem-estar infantil, que impõem normas de saúde e educação, além de regulamentar a contratação e o treinamento dos funcionários.

"Evidentemente estamos preocupados com a possibilidade de menores não receberem atendimento suficiente quando necessitam dele, de não receberem a assistência emocional ou de saúde mental que necessitam", disse Leah Chavla, advogada da Comissão de Refugiadas Mulheres, um grupo de defesa de imigrantes.

"Esta não pode ser a solução apropriada", disse. 

Tradução de Clara Allain

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.