Turquia detém 61 militares por suposta ligação com clérigo de oposição

Em outra operação, 21 pessoas foram detidas por usar um aplicativo de mensagens encriptadas

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan é recebido pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em Nova York
O presidente turco Recep Tayyip Erdogan é recebido pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em Nova York - Angela Weiss/AFP
Istambul | Reuters

Autoridades turcas ordenaram a prisão de 61 militares da Marinha e da Infantaria, inclusive oficiais, por suposta ligação com o clérigo Fethullah Gülen, que vive nos Estados Unidos, segundo a mídia estatal do país.

O governo do presidente Recep Tayyip Erdogan acusa Gülen de estar por trás de uma tentativa de golpe em julho de 2016, durante a qual 250 pessoas morreram.

Desde então, ao menos 140 mil pessoas já foram detidas no expurgo —às vezes por acusações vagas como “apoiar o golpe”. O estado de emergência declarado pelo governo logo após o golpe durou até julho deste ano.

Críticos de Erdogan  dizem que ele usou o golpe fracassado como pretexto para endurecer contra a oposição; o governo diz que as medidas como prisões e expurgos são necessárias para garantir a segurança nacional.

Dezoito dos militares detidos são da ativa, segundo a agência estatal Anadolu. Os suspeitos incluem 12 majores e 12 capitães da Infantaria e 24 tenentes da Marinha.

Em outra operação, 21 pessoas foram detidas por usar um aplicativo de mensagens encriptadas, em sua maioria ex-professores.

Desde a tentativa de golpe, as autoridades turcas também vêm detendo jornalistas - no ano passado foram 73, segundo relatório do Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ). A maioria dos presos foi acusada com base na lei antiterrorismo por ligação com Gülen.


A era Erdogan

mar.2003 Recep Tayyip Erdogan assume como primeiro-ministro

jan.2005 Negociações de adesão da Turquia à UE começam oficialmente

abr.2007 Protestos contra Erdogan

ago.2007 Abdullah Gul é eleito presidente; é o 1º islamita a ter esse posto

jun.2011 Erdogan é eleito para 3º mandato como premiê

mai.2013 Governo reprime protestos contra destruição de parque público em Istambul

ago.2014 Erdogan vence as eleições presidenciais

jul.2015 Termina cessar-fogo com curdos

mar.2016 Autoridades tomam o controle do jornal Zaman

jun.2016 Ataque terrorista em aeroporto de Istambul mata 42

jul.2016 Tentativa de golpe chega perto de derrubar o governo; autoridades respondem com mão de ferro

jan.2017 Homem armado mata 39 durante celebração de Ano Novo em Istambul

abr.2017 Erdogan vence um plebiscito para ampliar seus poderes; oposição diz que houve fraude

abr.2018 Erdogan convoca eleições antecipadas para 24 de junho

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.