Descrição de chapéu Venezuela

Autópsia confirma suicídio de oposicionista, diz Caracas

No entanto, autoridades mudam versão oficial de como morte ocorreu

Caracas

A Procuradoria da Venezuela descartou nesta quarta-feira (10) que o vereador Fernando Albán tenha sido assassinado na prisão, como dizem opositores do governo, e reiterou que o político se suicidou.

O procurador-geral, Tarek William Saab, disse que a autópsia determinou que Albán morreu devido ao impacto da queda do décimo andar do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin), na última segunda-feira. 

"Morreu em consequência do golpe recebido ao cair de uma altura (...), não havia evidência de maus tratos físicos prévios a essa queda", afirmou Saab, ao ler trechos do documento. 

"Isso de que caiu já morto é uma mentira que não pode ser repetida e, quem quiser repeti-la, que a prove", afirmou. 

Cortejo fúnebre pelo vereador Fernando Albán, em Caracas, na Venezuela - Juan Barreto/AFP

Opositores como o deputado Julio Borges declararam que Albán já estava morto quando caiu no asfalto. "Foi lançado sem vida do edifício de Sebin", afirmou Borges, que vive exilado na Colômbia. 

Na terça-feira (9),  o Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU, a União Europeia e o governo brasileiro pediram uma investigação transparente sobre as circunstâncias da morte do vereador. 

O  governo brasileiro considera que o caso levanta "legítimas e fundadas dúvidas quanto a eventuais responsabilidades e exigem a mais rigorosa, independente e transparente investigação". 

Nesta quarta, os EUA acusaram Caracas de envolvimento na morte do oposicionista.

Albán foi detido na semana passada por suposto envolvimento em ataque de drones contra o ditador Nicolás Maduro, em agosto. 

Na primeira versão das autoridades, o vereador se jogou da janela de um banheiro quando esperava ser transferido a um tribunal. 

Mas Saab reformulou essa versão nesta quarta. "Ele se levantou abruptamente da mesa dizendo que queria ir ao banheiro, aproveitou-se dessa circunstância, correu até uma janela panorâmica que se encontrava no andar 10 da sede da Sebin e se lançou ao vazio." 

Na segunda, o procurador havia dito que Albán "pediu para ir ao banheiro e, estando ali, se lançou ao vazio do 10º andar". 

Saab afirmou ainda que está sendo investigada uma grande quantidade de mensagens e de vídeos encontrados no telefone, no email e nas redes sociais do vereador.

"Muitos desses vídeos poderiam explicar a conduta lamentável do cidadão Albán de atentar contra sua própria vida." 

AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.