Putin chama ex-espião envenenado de cafajeste e traidor

Reino Unido acusa Kremlin por envenenamento de Serguei Skripal e sua filha, Iulia

Moscou | Reuters

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta quarta-feira (3) que Serguei Skripal, ex-espião envenenado no Reino Unido, é um cafajeste que traiu a Rússia.

O Reino Unido acusa a Rússia de estar por trás do envenenamento de Skripal e sua filha, Iulia, em Salisbury, na Inglaterra, em março. Eles foram contaminados pela substância neurotóxica novitchok.

A Rússia nega.

 

O ex-espião russo Serguei Skripal, em Moscou - Yuri Senatorov - 9.ago.06 /Kommersant Photo / AFP

"Alguns de seus colegas estão defendendo a teoria de que Skripal foi quase como um ativista de direitos humanos", afirmou Putin durante um fórum de energia em Moscou.

Skripal foi preso na Rússia por vender informação ao Reino Unido, e Moscou concordou em libertá-lo como parte de um acordo para troca de prisioneiros, disse Putin, sugerindo que, portanto, não tinha motivos para matá-lo. 

"Foi preso, castigado, passou cinco anos na prisão. Nós o libertamos, partiu [para o Reino Unido] e continuou colaborando e assessorando os serviços secretos. E daí", disse o presidente.

"Ele era simplesmente um espião. Um traidor da pátria. Existe este conceito - um traidor da pátria. Ele era um desses."

"Ele é simplesmente um cafajeste, é isso", acrescentou. 

 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.