Corpo de Khashoggi foi dissolvido, diz assessor do presidente turco a jornal

Turquia pressiona para que Arábia Saudita revele localização do corpo do jornalista

Hatice Cengiz, noiva de Jamal Khashoggi, fala durante cerimônia em memória do jornalista em Washington
Hatice Cengiz, noiva de Jamal Khashoggi, fala durante cerimônia em memória do jornalista em Washington - Jim Watson/AFP
Ancara | Reuters

Um assessor do presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse a um jornal local que o corpo do jornalista Jamal Khashoggi foi esquartejado e dissolvido.

Khashoggi, colunista do jornal americano Washington Post e crítico do governo da Arábia Saudita e do príncipe herdeiro Mohammad Bin Salman (MBS), líder de facto do país, desapareceu depois de ter entrado no consulado saudita em Istambul no dia 2 de outubro.

O reino dizia inicialmente que o jornalista havia deixado o consulado; depois, admitiu que ele havia morrido no local, em uma operação clandestina; já na semana passada, o procurador público saudita afirmou que a morte foi premeditada.

O promotor-chefe de Istambul, Irfan Fidan, disse nesta semana que Khashoggi foi estrangulado assim que entrou no consulado e que seu corpo foi depois esquartejado. A Turquia tem pressionado para que a Arábia Saudita revele a localização do corpo do jornalista.

Mas o assessor presidencial Yasin Aktay disse ao jornal Hurriyet que os restos mortais foram dissolvidos. 

Já o presidente Erdogan disse nesta sexta-feira (2) que a ordem para matar Khashoggi veio dos mais altos níveis do governo saudita —o mandatário acrescentou, porém, que não acredita que o rei saudita Salman bin Abdulaziz Al Saud tenha ordenado a morte.

A Arábia Saudita vem sofrendo pressão internacional por conta da morte do jornalista, que manchou a imagem de reformista do príncipe MBS. 

O presidente americano, Donald Trump, já disse que a suposta operação para matar Khashoggi foi "o pior acobertamento da história", mas também fez comentários relativizando a responsabilidade da Arábia Saudita, que é aliada dos EUA, no caso.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.