Corpos de vitimas de incêndios na Califórnia podem nunca ser encontrados

Número de mortes confirmadas foi a 77; quase mil pessoas seguem desaparecidas

Trabalho de busca em Paradise, na Califórnia
Trabalho de busca em Paradise, na Califórnia - Wu Xiaoling/Xinhua
 
Paradise (EUA) | Reuters e Associated Press

Agentes que participam das buscas por restos mortais nas áreas atingidas por incêndios na Califórnia disseram que alguns corpos poderão nunca ser encontrados, por causa da intensidade das chamas.

"Se o fogo fica no mesmo lugar por muito tempo e queima o suficiente, os ossos podem ser reduzidos a fragmentos muito pequenos, que não somos capazes de ver, e que os cães também não conseguem detectar", disse Trish Moutard, voluntária que trabalha nas buscas. 

O número de mortes subiu para 77, segundo informe das autoridades locais na noite de domingo (18). O total de desaparecidos foi reduzido de 1.276 para 993. Foram destruídas mais de 10 mil casas.

O total de pessoas desaparecidas mudou constantemente durante os últimos dias porque as equipes encontraram muitos corpos, novos casos de sumiço foram relatados e moradores que estavam na lista de busca foram encontrados em segurança.

O incêndio Camp começou no norte da Califórnia em 8 de novembro e rapidamente destruiu a cidade de Paradise, que tinha 27 mil habitantes.

O Camp arrasou cerca de 610 quilômetros quadrados (equivalente à duas vezes a cidade de Fortaleza), e estava 66% contido na manhã de segunda-feira (19).

A expectativa é que ele seja apagado por completo até o fim do mês. Mais de 5.000 bombeiros trabalham no combate ao fogo, auxiliados por 28 helicópteros.

Na região de Malibu, o incêndio Woolsey estava 94% contido. A expectativa é que ele seja totalmente apagado até quinta-feira (22), feriado de Ação de Graças. 

No entanto, as tempestades também poderão atrapalhar o trabalho de resgate. A água faz com que a lama e as cinzas do incêndio se misturem, o que dificultará consideravelmente a busca por restos mortais das vítimas.

Há também risco de deslizamento. Como muitas árvores foram queimadas, suas raízes ficaram fracas. Isso aumenta o risco de que a terra ceda. 

As causas do fogo ainda estão sendo investigadas, mas há suspeitas de que podem ter começado devido a falhas em equipamentos elétricos.

Na região de Paradise, um pequeno grupo de moradores resolveu ficar e proteger suas propriedades. Um deles, Brad Weldon, contou ter lutado contra as chamas por 24 horas, usando uma mangueira e um balde, até afastar o fogo de sua casa. Weldon mora com a mãe, de 89 anos, e já havia perdido sua residência em um incêndio quando criança. 

“Se alguém ficar em sua casa, não vamos forçá-lo a sair. Estamos tentando tratar as pessoas com respeito”, disse o xerife Kory Honea. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.