EUA fazem alerta a cidadãos na Tanzânia sobre repressão contra gays

Site da embaixada aconselha americanos a revisarem suas informações em redes sociais

DAR ES SALAAM (TANZÂNIA)

Os Estados Unidos alertaram seus cidadãos na Tanzânia depois da cidade de Dar es Salaam ter anunciado medidas de repressão contra a homossexualidade, que é crime no país africano.

Entre duas bandeiras coloridas, o presidente da Tanzânia faz um discurso em uma tribuna
O presidente da Tanzânia faz um discurso durante uma conferência no Quênia - Simon Maina/AFP

Um alerta no site da Embaixada dos Estados Unidos aconselha americanos na Tanzânia a revisarem suas informações em redes sociais e outros registros na internet.  

O informe diz que qualquer cidadão americano detido ou preso deve exigir que as autoridades da Tanzânia avisem a embaixada.

O dirigente administrativo de Dar es Salaam disse na quarta (31) que um comitê especial vai procurar, identificar e punir homossexuais e prostitutas.  

Ao menos 12 homens foram presos no mês passado em um hotel da cidade, durante um encontro que, segundo as autoridades, tinha a intenção de promover relações gays. 

O presidente John Magufuli vem banindo a homossexualidade desde que assumiu o poder em 2015, e uma sentença por ter “relações carnais que vai contra a ordem natural” pode gerar a até 30 anos na cadeia.

A homossexualidade continua um tabu na maior parte da África e gays enfrentam discriminação ou perseguição —seus grupos de defesa, por vezes, mal podem falar publicamente em prol de seus direitos.  
 

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.