EUA prendem 42, e México deporta 98 após confronto durante protesto na fronteira

Grupo tentou atravessar fronteira durante manifestação de imigrantes

Imigrantes de caravana da América Central e jornalistas são atingidos por gás lacrimogêneo após grupo tentar cruzar ilegalmente a fronteira americana em Tijuana, no México - Adrees Latif-25.nov.2018/Reuters
Tijuana (México) | Reuters e Associated Press

As autoridades americanas prenderam 42 pessoas após confrontos durante protesto em Tijuana, na fronteira entre os Estados Unidos e o México, onde milhares de imigrantes tentam cruzar para solo americano.

O chefe da Patrulha de Fronteira em San Diego, do lado americano, Rodney Scott, disse nesta segunda-feira (26) que a maioria dos imigrantes latinos que estão na região não se qualificaria para o pedido de asilo e que há poucas mulheres e crianças entre eles.

“O que eu vi na fronteira ontem [domingo] não foram pessoas indo até agentes da Patrulha de Fronteira e pedindo asilo.”

Grupo de imigrantes escala barreira de metal que divide México e EUA, em Tijuana, - Pedro Pardo-25.nov.2018/AFP

Os confrontos ocorreram em meio a uma manifestação pacífica de centenas dos imigrantes em Tijuana para pedir aos EUA que acelerem o processo de concessão de asilo aos membros da caravana. As autoridades mexicanas intervieram na passeata para impedir que se aproximassem da fronteira, e parte dos imigrantes (cerca de 500, segundo o México, e cerca de 1.000, segundo os EUA) tentou atravessar correndo a grade divisória entre os países.

A secretária de Segurança Interna dos EUA, Kirstjen Nielsen, disse em uma rede social que os agentes na fronteira foram atingidos por projéteis lançados por membros da caravana de imigrantes. As forças americanas reagiram, lançando gás lacrimogêneo.

O confronto levou os EUA a fecharem por várias horas a passagem de San Ysidro, entre a americana San Diego e a mexicana Tijuana.

Lurbin Sarmiento, 26, de Copan, em Honduras, disse que estava com sua filha de quatro anos quando os agentes americanos lançaram gás lacrimogêneo. “Nós corremos, mas a fumaça nos alcançou e minha filha estava engasgando”, disse Sarmiento. Ela afirmou ainda que nunca teria chegado tão perto se soubesse que a polícia atiraria o gás.

A fumaça do gás foi levada pelo vento e atingiu pessoas a dezenas de metros do confronto. Do lado americano, quem estava próximo à fronteira buscou abrigo em um shopping.

Cerca de 7.400 imigrantes estão reunidos nas cidades de Tijuana e Mexicali esperando uma oportunidade para cruzar a fronteira. Agentes de San Ysidro, ponto de entrada para os EUA, estão processando menos de cem pedidos de asilo por dia.

Nesta segunda, o presidente Donald Trump usou uma rede social  para pedir que o México deporte os imigrantes, “muitos deles criminosos”, de avião, ônibus, "de qualquer jeito que vocês quiserem".

"Fecharemos a fronteira permanentemente, se necessário. Congresso, financie o muro!", escreveu, em referência à sua polêmica promessa de construir um muro entre os dois países para conter a imigração.

O Instituto Nacional de Imigração do México informou nesta segunda que 98 pessoas envolvidas no “ato violento” foram deportadas.

A polícia mexicana reforçou a segurança em seu lado da fronteira e enviou agentes para a porta do abrigo em que estão os imigrantes em Tijuana para informar que eles não poderiam caminhar até à área de divisa com os EUA.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.