Descrição de chapéu Dias Melhores

Desalojados por fogo nos EUA ganham ceia de Ação de Graças

Voluntários organizam 15 mil refeições para famílias celebrarem o feriado

Michael Reining (esq) e Chelsea Meddings (dir.) picam hortelã no preparo de jantar de Dia de Ação de Graças para os afetados pelo incêndio Camp, na Califórnia; jantar será servido no campus da Universidade Estadual da Califórnia, na cidade de Chico - Kathleen Ronayne-21.nov.2018/Associated Press
Chico (EUA)

A americana Hannah Crenshaw, 26, recebe todos os anos cerca de 15 convidados em sua casa em Magalia, na Califórnia, para um tradicional jantar do Dia da Ação de Graças com direito a peru e purê de batatas. Neste ano, contudo, os planos mudaram.

Sua casa foi uma das cerca de 13 mil destruídas pelo incêndio florestal que começou em 8 de novembro e devastou a cidade de Paradise e suas vizinhas, incluindo Magalia.

Crenshaw vai passar o feriado desta quinta-feira (22) na casa de familiares de seu marido, em Durham. “Não parece Dia da Ação de Graças. Mas esse é meu feriado favorito e eu acho que tenho muito a agradecer neste ano com tudo que aconteceu", diz.

O incêndio Camp matou ao menos 83 pessoas, deixou 563 desparecidos e dezenas de milhares desalojados.

Mick Zalis, da organização World Central Kitchen, supervisiona o preparo de jantar de Dia de Ação de Graças que será servido a desalojados pelo incêndio na Califórnia - Kathleen Ronayne-21.nov.2018/Associated Press

Para contornar a tragédia nesse que é um feriado tradicional para os americanos, empresários e centenas de voluntários se organizaram para garantir um jantar com peru assado, batatas e torta para quem quiser uma ceia.

A organização sem fins lucrativos World Central Kitchen está preparando 15 mil refeições para servir neste Dia de Ação de Graças, em parceria com a cervejaria Sierra Nevada Brewing Co., a Universidade Estadual da Califórnia, ambas em Chico, e a cidade de Paradise.

Os voluntários passaram o dia nesta quarta-feira (21) preparando comida e arrumando mesas. "Será um descanso da ativididade frenética de tentar colocar nossas vidas de volta aos eixos e reconstruir nossa cidade", disse a prefeita de Paradise, Jody Jones.

Joann Barr estará em um dos jantares comunitários organizados pela cervejaria no campus da universidade. Normalmente, ela cozinharia em casa, principalmente sua especialidade, ovos cozidos apimentados. Ela não perdeu sua casa, mas foi obrigada a deixá-la há dias por conta dos incêndios. 

“É triste, mas há muitas coisas pelas quais agradecer", disse Barr do lado de fora de um centro de asistência aos atingidos pelo desastre, no shopping de Chico. “Sou grata pelo abrigo em que pude ficar, agora ao motel em que estou hospedada. Tudo que tenho, basicamente."

Centenas de perus congelados são descarregados no campus da Universidade Estadual da Califórnia, em Chico, para que voluntários da organização World Central Kitchen preparem um jantar de Ação de Graças para os desalojados pelo incêndio florestal no estado - Kathleen Ronayne-21.nov.2018/Associated Press

Outra leva de voluntários está abrindo as portas de suas casas para receber desconhecidos que perderam suas moradias, em um jantar de Ação de Graças mais intimista. Rachael Anderson vai receber Athenia Dunham e sua filha Natalie, 15, em sua casa em Redding, a cerca de uma hora e meia de Paradise.

Anderson já presenciou de perto o que é ser atingido por um incêndio florestal. No verão passado, Redding foi devastada pelas chamas. Ela não perdeu sua casa, e agora quer dividí-la com quem precisa.

“Elas perderam sua casa, suas tradições. Eu só quero dar a elas um pedacinho de um lar", disse Anderson. “Esse é o espírito da Ação de Graças, não apenas sua família de sangue, mas agradecer e ajudar uns aos outros."

Faun e Danny O’Neel também abrirão sua casa em Folsom para três famílias nesta quinta. Seus pais e avós perderam suas casas há alguns anos, em um incêndio que atingiu o Condado de Calaveras, o que tornou mais fácil a decisão de receber desalojados pelo incêndio deste mês.

Eles esperam poder oferecer "algumas horas de normalidade" para as famílias. "Onde eles possam rir e aproveitar a companhia de outras pessoas sem pensar no que acabaram de viver e nos desafios que enfrentarão", disse O’Neel.   ​

Algumas pessoas nem perceberam que o feriado chegou em meio ao cenário caótico das duas últimas semanas. "É hoje?", perguntou Amy Sheppard nesta quarta, enquanto corria para colocar o que conseguiu salvar de seus bens em uma sacola de lixo para proteger da chuva que caía no estacionamento do supermercado Walmart onde ela e outros dfesalojados acampam há dias. 

Sheppard normalmente passaria a Ação de Graças com cerca de 30 membros da família e amigos em uma casa em Magalia. O lugar, que pertence a um amigo da família, e sua própria casa queimaram no incêndio.

Neste ano, ela deve passar o feriado em um quarto de hotel com a irmã e a sobrinha de um ano. Ela chorou ao explicar que o filho estava abrigado com outros familiares desde o incêndio e que passariam a Ação de Graças separados.

Associated Press
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.