Polícia usa canhão de água e gás contra protesto de 'coletes amarelos' na Bélgica

Inspirados em francesas, belgas vão às ruas contra preço dos combustíveis

Manifestante é atingida por canhão de água em protesto de "coletes amarelos" em Bruxelas, na Bélgica, contra preço dos combustíveis - Francisco Seco/Associated Press
Bruxelas | Reuters

A polícia usou canhões de água e gás lacrimogêneo para conter uma manifestação de "coletes amarelos" em Bruxelas, na Bélgica.

Os manifestantes se inspiraram no protesto contra  a alta dos preços de combustíveis na França, onde que centenas de milhares de pessoas às ruas e estradas do país nas últimas duas semanas. O colete amarelo alude ao acessório que todo motorista deve levar no carro na França e vestir em caso de acidente.

Em Bruxelas, o protesto organizado pelas redes sociais contra o alto preço dos combustíveis começou de forma pacífica e, por três horas, passou pelas ruas do país até chegar ao escritório do primeiro-ministro.

"Michel, renuncie", gritavam os manifestantes, em referência ao premiê Charles Michel.

Aliado do presidente francês, Emmanuel Macron, Michel disse na quinta-feira (29) ter simpatia pela causa dos manifestantes, mas alertou que "dinheiro não cai do céu". Sua coalizão de centro-direita enfrenta eleições em maio de 2019.

A polícia disse ter prendido cerca de 60 pessoas antes dos confrontos começarem, a maioria por bloquear ruas ou carregar fogos de artifício. 

Algumas dezenas dos cerca de 300 manifestantes, muitos mascarados, tentaram então passar pelas barreiras policiais e entraram em confronto com os agentes. O grupo lançou pedras e fogos de artifício contra o escritório do primeiro-ministro e destruiu ao menos duas viaturas.

A polícia usou canhões de água e gás lacrimogêneo para dispersar o grupo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.