Trump e Erdogan coordenam reação a assassinato de jornalista saudita

Jamal Khashoggi foi assassinado em outubro dentro do consulado da monarquia do Golfo em Istambul

Paris | Reuters

O presidente dos EUA, Donald Trump e seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, debateram na noite de sábado (10) como reagir ao assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, ocorrido na Turquia em outubro, disse a Casa Branca. 

A conversa se deu no jantar com chefes de Estado e governo por ocasião do centenário da Primeira Guerra.

Khashoggi, um crítico do príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, foi morto no consulado saudita em Istambul por assassinos enviados de Riad. Autoridades sauditas admitem que o assassinato foi premeditado, mas o corpo desapareceu.

No sábado, Erdogan afirmou ter enviado gravações em áudio do assassinato aos governos de EUA, França, Alemanha e Reino Unido e disse que a ordem para matar veio dos "mais altos níveis" do regime saudita.

Trump afirma estar trabalhando com o Congresso americano, a Turquia e a Arábia Saudita para atribuir responsabilidades.

Em ligação ao príncipe saudita neste domingo, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, enfatizou que os EUA tomarão medidas contra todos os envolvidos na morte de Khashoggi e que a Riad deveria fazer o mesmo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.