Barack Obama escolhe os melhores livros de 2018

Todo ano, ex-presidente divulga lista dos livros que mais gostou de ler

S√£o Paulo

‚ÄčPara a surpresa de ningu√©m, o livro que o ex-presidente Barack Obama leu e mais gostou em 2018 √© o de sua esposa, Michelle Obama, "Minha hist√≥ria", lan√ßado em 13 de novembro no Brasil pela editora Objetiva. 

A lista completa tem 29 t√≠tulos, grande parte deles escritos por autores negros ou africanos e sem lan√ßamento no Brasil. "Longo caminho para a liberdade", de Nelson Mandela, e "Gr√£o de trigo", do ativista queniano Ngugi wa Thiong‚Äôo aparecem na sele√ß√£o. 

Histórias sobre identidade, migração e pertencimento se destacam.

Em "In the Shadow of Statues" (na sombra das est√°tuas), o prefeito de Nova Orleans, Mitch Landrieu, relata sua inf√Ęncia no sul dos Estados Unidos dividido por pol√≠ticas raciais. Em maio de 2017, meses antes dos protestos de extrema-direita, o democrata determinou a retirada dos √ļltimos quatro monumentos em homenagem √† Confedera√ß√£o remanescentes na cidade. 

"Americanah", que conta a hist√≥ria de uma nigeriana que deixa sua terra natal para estudar nos Estados Unidos, de Chimamanda Ngozi Adichie, foi um dos selecionados.

Em "Immigrant, Montana", Amitava Kumar explora a adapta√ß√£o de um imigrante aos EUA a partir de seus encontros amorosos ‚ÄĒuma hist√≥ria que se desenvolve na t√™nue linha entre fic√ß√£o e autobiografia. 

Os temas pol√≠ticos n√£o ficaram de fora. O aclamado "Como as democracias morrem", do colunista da Folha Steven Levitsky e de Daniel Ziblatt, e "Why Liberalism Failed", de Patrick Deneen, foram citados pelo ex-presidente. 

"The Broken Ladder: How Inequality Affects the Way We Think, Live, and Die" (a escada quebrada: como a desigualdade afeta o jeito que pensamos, vivemos e morremos), de Keith Payne, aborda os efeitos f√≠sicos, psicol√≥gicos e morais da desigualdade social. 

Um dos temas que pautaram as elei√ß√Ķes de meio de mandato deste ano aparece em "American Prison" (pris√£o americana), do jornalista investigativo Shane Bauer. Ele passou quatro meses trabalhando como agente penitenci√°rio em uma pris√£o do estado de Louisianna.  


Livros indicados por Obama lan√ßados no Brasil

Minha História
Michelle Obama, ed. Objetiva, R$ 59,90 (426 p√°gs.)

Americanah
Chimamanda Ngozi Adichie, ed. Cia. das Letras, R$ 62,90 (520 p√°gs.)

A Menina da Montanha
Tara Westover, ed. Rocco, R$ 44,90 (336 p√°gs.) ‚Äč

Um Gr√£o de Trigo
Ngugi wa Thiong‚Äôo, ed. Alfaguara Brasil, R$ 54,90 (304 p√°gs.)

Uma Casa para o Sr. Biswas 
V. S. Naipaul, ed. Cia das Letras, R$ 44,90 (664 p√°gs.)

Como as Democracias Morrem
Steven Levitsky e Daniel Ziblatt, ed. Zahar, R$ 59,90 (272 p√°gs.)

Longa Caminhada até a Liberdade
Nelson Mandela, ed. Nossa Cultura, R$ 69 (776 p√°gs.)

O Mundo se Despedaça
Chinua Achebe, ed. Cia. das Letras, R$ 47,90 (240 p√°gs.)

‚ÄčL√° N√£o Existe L√°
Tommy Orange, ed. Rocco, R$ 49,90 (304 p√°gs.)


Lista completa

Becoming
Michelle Obama

An American Marriage
Tayari Jones

Americanah
Chimamanda Ngozi Adichie

The Broken Ladder: How Inequality Affects the Way We Think, Live, and Die
Keith Payne

Factfulness
Hans Rosling

Futureface: A Family Mystery, an Epic Quest, and the Secret to Belonging
Alex Wagner

A Grain of Wheat
Ngugi wa Thiong’o

A House for Mr Biswas
V.S. Naipaul

How Democracies Die 
Steven Levitsky e Daniel Ziblatt

In the Shadow of Statues: A White Southerner Confronts History
Mitch Landrieu

Long Walk to Freedom
Nelson Mandela

The New Geography of Jobs
Enrico Moretti

The Return
Hisham Matar

Things Fall Apart
Chinua Achebe

Warlight
Michael Ondaatje

Why Liberalism Failed
Patrick Deneen

The World As It Is
Ben Rhodes

American Prison
Shane Bauer

Arthur Ashe: A Life
Raymond Arsenault

Asymmetry
Lisa Halliday

Feel Free
Zadie Smith

Florida
Lauren Groff

Frederick Douglass: Prophet of Freedom
David W. Blight

Immigrant, Montana
Amitava Kumar

The Largesse of the Sea Maiden
Denis Johnson

Life 3.0: Being Human in the Age of Artificial Intelligence
Max Tegmark

There There
Tommy Orange

Washington Black
Esi Edugyan

Coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.