Certificação halal de Toblerone irrita direita alemã

Fabricante diz que receita de chocolate não mudou

São Paulo

Membros  da direita europeia estão pedindo um boicote do chocolate Toblerone, depois de descobrirem que o produto recebeu certificação halal há cerca de seis meses, informou a CNN e a imprensa local.

A certificação halal significa que a produção do chocolate atende aos preceitos do islã, que excluem, por exemplo, alimentos contendo porco ou álcool e exigem que os animais sejam abatidos por um muçulmano com um corte na garganta.

A fábrica da Toblerone fica em Berna, na Suíça.

Chocolates Toblerone, fabricados na Suíça pela Mondelez - Alastair Grant - 8.nov.16/Associated Press

Segundo o jornal britânico The Times, a movimentação parece uma tentativa de fazer os chocolates mais atrativos para o público islâmico. Centenas de produtos da Nestlé tem certificação halal, disse ainda o jornal. 

"A islamização não tem lugar, nem na Alemanha nem na Europa", afirmou em uma rede social Jörg Meuthen, porta-voz do partido de direita nacionalista alemão AfD. "É certamente pura coincidência de que o conhecido chocolate agora seja certificado como 'halal'." 

Enquanto alguns se juntaram ao pedido de boicote, outros ridicularizaram a declaração.

Em nota à CNN, a fabricante do chocolate, Mondelez, disse que "a certificação não resultou em nenhuma mudança na nossa amada receita original tradicional Toblerone". "Devido à natureza inerente do chocolate Toblerone seu processo de produção essencialmente atende aos critérios halal de qualquer maneira." 

"A maioria das empresas multinacionais tem produtos com certificação halal", disse à CNN  Umar al-Qadri, do Departamento de Certificação Halal.

Ele encorajou o público a "pesquisar e descobrir o que é halal". "Eles pensam que é negativo, mas na verdade é um padrão mais alto de segurança alimentar."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.