Crise de fome se agrava no Iêmen, e 20 milhões sofrem desnutrição, aponta ONU

Ao menos 250 mil iemenitas estão em risco de morrer de fome

Associated Press

A ONU afirmou nesta segunda-feira (10) que 20 milhões de pessoas no Iêmen passam fome, um aumento de 15% em relação ao ano passado.

O agravamento da crise fez com que, pela primeira vez, as Nações Unidas registrassem 250 mil iemenitas em situação catastrófica, que significa fome grave e morte.

O chefe de ajuda humanitária da ONU, Mark Lowcock, voltou recentemente de viagem ao país e disse a repórteres na sede da ONU que a situação no Iêmen sofreu "deterioração significativa e dramática".

Há cinco níveis na escala global que mede a severidade e magnitude da fome e desnutrição. A mais severa, a quinta, é a chamada de catástrofe. No ano passado, nenhum iemenita estava nesta situação, já dessa vez, 250 mil estão sob risco de morte por falta de comida.

Lowcock disse ainda que 5 milhões de pessoas estão na fase 4, considerada emergencial. Esse grupo inclui moradores de 152 dos 333 distritos do Iêmen, uma alta em relação ao ano passado.

O país sofre há três anos com uma guerra que opõem rebeldes houthis e uma coalizão internacional liderada pela Arábia Saudita e com apoio dos EUA. Milhares de pessoas já morreram no conflito. A ONU classificou a situação no país como a maior crise humanitária da atualidade. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.