Presidente do México quer retirar foro privilegiado de seu próprio cargo

AMLO tomou posse no sábado e tem tomado medidas para cortar gastos públicos

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, em coletiva de imprensa no Palácio Nacional - Francisco Cañedo/Xinhua
Cidade do México

O novo presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse nesta terça (4) que enviará ao Senado um projeto de lei para retirar a imunidade do cargo de presidente da Republica. A mudança foi uma de suas promessas de campanha

Segundo a Constituição mexicana, o presidente só pode ser acusado de traição e de alguns crimes graves.

"A impunidade estabelecida na Constituição vai acabar. O presidente poderá ser julgado como qualquer outro cidadão", acrescentou Obrador, conhecido pela sigla AMLO, em uma coletiva de imprensa. 

AMLO tem buscado se distanciar de seus antecessores com medidas como abrir ao público a residência presidencial de Los Pinos, onde ele disse que não irá morar, e vender o avião presidencial.

O novo líder também defendeu reduzir os salários dos funcionários públicos. No México, a lei determina que ninguém pode ganhar mais do que o presidente da República, cujo salário é de 108 mil pesos (cerca de R$ 20 mil). No entanto, membros do Poder Judiciário criaram mecanismos para ganhar acima desse teto. 

"Acredito que houve uma mudança e uma política de austeridade será aplicada", disse o presidente.

"Há desonestidade quando um funcionário público aceita receber até 600 mil pesos (cerca de R$ 112 mil) mensais. Isso é corrupção. Em um país com tanta pobreza, se um funcionário público quer ganhar assim, é um ato de desonestidade", acrescentou.

AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.