Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Temer minimiza posição de Bolsonaro e pede mais abertura e integração do Mercosul

Presidente brasileiro se despede de parceiros regionais em reunião do bloco em Montevidéu

Sylvia Colombo
Montevidéu

O presidente brasileiro, Michel Temer, minimizou as declarações da equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro, com relação a não ter o Mercosul como prioridade. Temer falou a jornalistas após a plenária de presidentes do bloco, em reunião em Montevidéu, nesta terça-feira (18).

"A posição de Bolsonaro é a de fazer a revisão das questões do Mercosul, mas essas revisões são constantes e acho que o presidente eleito promoverá a sua, que não necessariamente significa uma oposição ao Mercosul."

Da esquerda para a direita, os presidentes Mario Abdo Benítez (Paraguai), Mauricio Macri (Argentina), Tabaré Vazquez (Uruguai), Michel Temer (Brasil) e Evo Morales (Bolívia), durante cúpula do Mercosul em Montevidéu - Andres Stapff/Reuters

Temer acrescentou que, em sua última participação em reuniões do bloco, "houve uma abertura completa do Mercosul, um retorno do Mercosul aos seus padrões originais, que permitiu o avanço de várias negociações."

Reforçou que a "OMC [Organização Mundial do Comércio] declarou que o Brasil, no ano de 2018 foi o país que mais abriu para a facilitação de comércio em todo o mundo. Isso foi importante para o nosso país e para o Mercosul".

Temer ainda realizaria uma reunião bilateral com o seu par paraguaio, Mario Abdo, antes de retornar a Brasília, na tarde desta terça-feira.

Em sua intervenção, na parte da manhã, Temer se despediu dos presidentes da Argentina, Mauricio Macri; do Uruguai, Tabaré Vázquez; do Paraguai, Mario Abdo, e da Bolívia, Evo Morales, dizendo que espera que o bloco siga no caminho de realizar "mais comércio, mais investimentos, mais integração e a reunificação dos países latino-americanos" com foco na Aliança do Pacífico e o aumento dos tratados de livre-comércio sem ferir as leis do bloco.

"Abrir o Mercosul tem de continuar sendo a tônica do grupo", afirmou.
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.