Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro e premiê tcheco discutem controle mais rígido da imigração

Para Andrej Babis, países devem decidir quem entra neles

Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante reunião Bilateral com o Primeiro-Ministro da República Tcheca, Andrej Babis
O presidente Jair Bolsonaro tem reunião com o primeiro-ministro da República Tcheca, Andrej Babis - Alan Santos/PR
Lucas Neves
Davos

O presidente Jair Bolsonaro falou sobre aumentar o controle à imigração com o primeiro-ministro da República Tcheca, Andrej Babis, em reunião realizada na manhã desta quinta-feira (24), em Davos.

"Temos a mesma opinião", disse na saída o chefe de governo europeu. "Nossos países devem decidir quem vai viver neles. [No caso da República Tcheca], não é possível que contrabandistas decidam quem entra na Europa. Temos de recusar todos os que chegam ilegalmente. Não é possível dizer que agora vamos salvar o planeta e que todos podem vir para cá."

Para o premiê, é preciso ajudar os ilegais em seus países de origem. "Não podemos aceitar o estilo das ONGs que mandam barcos para [salvar] imigrantes que pagam US$ 5000 [R$ 18,8 mil] pela viagem e então são distribuídos [pelos países] ao chegar à Europa. Não vai ser Bruxelas [capital da governança europeia] quem vai decidir quem mora na República Tcheca." 

Desde o estouro da crise migratória, há quatro anos, países como Hungria, Polônia e República Tcheca vêm se alinhando no que se refere a políticas e retórica anti-imigração.

Ao lado da Eslováquia, os três compõem o Grupo de Visegrado, aliança político-econômica que tem sistematicamente barrado iniciativas da União Europeia para estabelecer um plano comum e um compartilhamento de responsabilidades no trato da imigração.

Babis afirmou que a pauta do encontro com Bolsonaro incluiu ainda um diálogo sobre possíveis parcerias nas áreas de defesa e indústria. O premiê contou ter convidado o brasileiro a visitar a República Tcheca no segundo semestre deste ano.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.