Descrição de chapéu Governo Trump

EUA começam a retirar tropas da Síria, diz porta-voz militar

Anunciada por Trump em dezembro, decisão surpreendeu aliados e derrubou secretário de Defesa

Beirute

Os Estados Unidos começaram a retirar suas tropas na Síria, afirmou nesta sexta-feira (11) o porta-voz da coalizão liderada pelos americanos contra a facção terrorista Estado Islâmico.

"A coalizão começou o processo de nossa retirada deliberada da Síria. Devido a preocupações de segurança operacional, não vamos discutir prazos específicos, localizações ou movimentos de tropas", disse o coronel Sean Ryan.

Comboio de veículos militares dos EUA na cidade de Manbij, no norte da Síria, em dezembro
Comboio de veículos militares dos EUA na cidade de Manbij, no norte da Síria, em dezembro - Delil Souleiman - 30.dez.18/AFP

O presidente Donald Trump anunciou em dezembro a retirada dos cerca de 2.000 militares americanos na Síria, medida que surpreendeu aliados de Washington e até autoridades do Pentágono. O secretário de Defesa, Jim Mattis, pediu demissão por não concordar com Trump na questão.

A Rússia, principal aliada do ditador sírio, Bashar al-Assad, afirmou nesta sexta que tinha a impressão de que os americanos pretendiam ficar, apesar do anúncio da retirada.

Em um giro pela região nesta semana, o secretário de Estado Mike Pompeo reafirmou a aliados de Washington que a proteção dos curdos seria uma pré-condição para a retirada das tropas. O comentário foi considerado "um grave erro" pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

A milícia síria curda YPG tem sido a força mais eficiente no combate ao Estado Islâmico. Mas a Turquia vem pressionando Washington há anos para que os EUA deixem de apoiar os curdos. Ancara vê o  YPG como uma extensão do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), considerado um grupo terrorista por liderar uma guerrilha no sudeste da Turquia.​

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.