Descrição de chapéu Venezuela

Guaidó denuncia intimidação das forças de segurança de Maduro contra sua família

Líder opositor responsabiliza ditador venezuelano pela integridade de sua filha

Caracas | AFP

O líder opositor venezuelano Juan Guaidó, que se declarou presidente encarregado do país, denunciou nesta quinta-feira (31) que as forças de segurança do regime do ditador Nicolás Maduro intimidaram sua família.

"O Faes está em minha casa, perguntando por Fabiana [sua esposa]. Neste momento a ditadura acha que vai nos amedrontar", disse Guaidó, referindo-se às Forças Armadas Especiais, grupo de elite criado por Maduro em 2017, durante um ato da oposição na Universidade Central da Venezuela, em Caracas.

Juan Guaidó com a esposa, Fabiana, e a filha na entrada de sua residência em Caracas nesta quinta (31)
Juan Guaidó com a esposa, Fabiana, e a filha na entrada de sua residência em Caracas nesta quinta (31) - Federico Parra/AFP

O opositor, que preside a Assembleia Nacional, disse que em sua casa está sua filha de 20 meses e responsabilizou Maduro por "qualquer coisa que possa acontecer com o meu bebê".

Os Estados Unidos, que reconheceram Guaidó como presidente interino da Venezuela, alertaram que haverá "sérias consequências" se o governo de Maduro tomar medidas contra o deputado de 35 anos.

Após discursar no evento em que apresentou o Plano País, com propostas para a grave crise econômica da Venezuela, Guaidó afirmou: "Daqui eu vou para minha casa". Ele convidou o corpo diplomático, parlamentares e outras pessoas presentes para acompanhá-lo. "Vamos ver o que o Faes quer."

Guaidó já foi proibido de deixar o país e teve contas bloqueadas pelo Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), que é alinhado a Maduro. No último dia 13, o deputado opositor chegou a ser detido por agentes do Sebin (Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional) por cerca de uma hora.

O secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), Luis Almagro, condenou a intimidação, disse que "esse é o diálogo de Nicolás Maduro" e afirmou esperar "que nenhum país democrático nem organização aceite isso".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.