Descrição de chapéu Venezuela

Chanceler espanhol descarta que UE fará reconhecimento unânime de Guaidó

EUA pediram que bloco reconheça oposicionista como presidente da Venezuela

AFP

​​

O chanceler da Espanha, Josep Borrell, descartou neste sábado (16) que a União Europeia (UE) reconheça o líder oposicionista Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. Os chanceleres do bloco se reunirão nesta segunda-feira (18).

Horas antes, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, pediu à UE que reconheça Juan Guaidó como o "único" presidente legítimo da Venezuela, em um momento em que vários países europeus bloqueiam uma posição comum do bloco. 

O líder oposicionista Juan Guaidó, reconhecido por quase 50 países como presidente interino da Venezuela, em Caracas - (Federico Parra/AFP)

"Todos devemos apoiar o povo venezuelano até que restabeleçam a liberdade e a democracia", disse Pence em discurso durante a Conferência de Segurança de Munique.

Segundo Borrell, não há consenso entre os países europeus. "Não acredito na possibilidade de que na segunda-feira os países que ainda não o reconheceram irão fazê-lo", afirmou o chanceler a jornalistas.

 "A UE em bloco não quer dizer nada (...) A UE não tem o poder de reconhecer, nem de deixar de reconhecer ninguém", disse o chanceler espanhol. 

"Suponho que o vice-presidente Pence se referisse aos Estados-membros", continuou Borrell, cujo país liderou o grupo de nações europeias que reconheceram o líder da Assembleia Nacional venezuelana como "presidente encarregado".

"Os Estados membros podem adotar uma posição comum ou não, e até agora isso não foi possível", disse. 

A Itália, com um governo de coalizão, é o principal obstáculo para que seja alcançada uma posição comum de reconhecimento. 

Até o momento, 24 países membros da UE reconheceram Guaidó como presidente interino da Venezuela. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.