Descrição de chapéu Coreia do Norte

Coreia do Norte decreta racionamento de comida antes de segundo encontro com Trump

País tem déficit de 1,4 mi de toneladas de alimentos e reduz quase pela metade distribuição de cestas

Nova York | Reuters

A Coreia do Norte informou nesta quinta-feira (21) que está passando por um déficit de alimentos de 1,4 mi de toneladas em 2019 e foi forçada a reduzir quase pela metade as cestas distribuídas à população.

Segundo o governo norte-coreano, isso se deve a fatores climáticos como altas temperaturas, seca, inundações e, também, às sanções da ONU.

A divulgação do memorando da missão norte-coreana à ONU acontece antes de uma segunda cúpula que ocorrerá no fim deste mês entre Trump e o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, no Vietnã, sobre a desnuclearização da península coreana.

Os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU aprovaram por unanimidade as sanções contra a Coreia do Norte desde 2006, numa tentativa de acabar com o financiamento de programas nucleares de Pyongyang.

"O governo da DPRK [República Popular Democrática da Coreia] pede às organizações internacionais que respondam com urgência à situação alimentar", diz o texto.

O memorando dizia que a produção de alimentos da Coreia do Norte em 2018 foi de 4,9 mi de toneladas, enquanto em 2017 o país produziu 503 mil toneladas. A ONU confirmou os dados oficiais do governo no final de janeiro e disse que a produção de alimentos da Coreia do Norte inclui arroz, trigo, batata e soja.

A Coreia do Norte informou que irá importar 200 mil toneladas de alimentos e produzirá cerca de 400 mil toneladas nas primeiras safras do ano. No entanto, a produção ainda será baixa e, a partir de janeiro, reduziria as cestas diárias de 550 gramas para 300 gramas por pessoa.

A ONU e grupos de ajuda à Coreia do Norte consultam o governo para "entender melhor o impacto da situação de segurança alimentar nas pessoas mais vulneráveis ​para tomar medidas imediatas para atender suas necessidades humanitárias", disse o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, na quinta-feira (21).

Dujarric disse que a ONU e os grupos de apoio só são capazes de sustentar um terço dos seis milhões de pessoas que precisam de ajuda em 2018 devido à falta de financiamento.

A ONU estima que um total de 10,3 milhões de pessoas —quase metade da população— estão em necessidade e cerca de 41 por cento dos norte-coreanos estão subnutridos, disse Dujarric.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.