Mais de 500 morrem em segundo maior surto de ebola da história

República Democrática do Congo registrou 502 mortos nos últimos seis meses

Kinshasa (República Democrática do Congo)

Um surto de ebola matou 502 pessoas em seis meses no leste da República Democrática do Congo, disse nesta sexta-feira (8) à noite o Ministério da Saúde. 

"No total, houve 502 mortes e 271 pessoas se curaram", disse o ministério em seu boletim diário. 

Agentes de saúde durante funeral de pessoa suspeita de ter morrido por ebola na República Democrática do Congo
Agentes de saúde durante funeral de pessoa suspeita de ter morrido por ebola na República Democrática do Congo - Goran Tomasevic-9.dez.18/Reuters

O governo distingue 441 mortes por casos confirmados e 61 de casos prováveis. 

É a segunda epidemia de ebola mais virulenta da história, desde a que matou mais de 11 mil pessoas na África Ocidental (Guiné, Libéria e Serra Leoa) em 2014.  A marca das 500 mortes foi ultrapassada na sexta-feira. 

A cidade de Beni é a mais afetada, com 147 mortes registradas.

Trata-se da décima epidemia em solo congolês desde que o vírus apareceu pela primeira vez, no antigo Zaire, em 1976. 

A epidemia atual apresenta uma complexidade singular, já que é registrada em uma região afetada pela violência das milícias armadas, situação que complica a resposta.

AFP

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.