Venezuela transfere contas da PDVSA para banco russo para escapar de sanções dos EUA

Segundo a agência Reuters, petrolífera parou produção em um projeto por falta de nafta

Caracas | Reuters

A PDVSA, a estatal petrolífera da Venezuela, está orientando seus clientes a depositarem os pagamentos em contas recém abertas pela empresa no banco russo Gazprombank, de acordo com a agência Reuters. Essa seria uma forma de escapar das sanções financeiras baixadas pelos Estados Unidos em 28 de janeiro, que impedem o acesso do ditador Nicolás Maduro à receita decorrente de exportações de petróleo. A Rússia apoia o regime de Maduro. 

Tanque em instalação da PDVSA na cidade de Lagunillas, na Venezuela.
Tanque em instalação da PDVSA na cidade de Lagunillas, na Venezuela. - Isaac Urrutia/REUTERS

Desde que as sanções foram adotadas, a  PDVSA vem pressionando seus sócios estrangeiros em joint-ventures na bacia do Orinoco a decidir formalmente se irão se manter nos projetos, de acordo com duas fontes ouvidas pela Reuters.

Entre os sócios estrangeiros estão a norueguesa Equinor ASA, a Chevron, baseada nos EUA, e a francesa Total. A PDVSA determinou que sua joint venture com a Equinor e a Total pare sua produção por causa da falta de nafta, combustível necessário para diluir o petróleo pesado, porque as sanções proíbem fornecedores de nafta de exportar para a Venezuela.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.