Bolsonaro terá 'Santa Ceia' com direita nos EUA

Jantar em homenagem ao presidente terá filósofos e financistas conservadores, alinhados a seu pensamento

Marina Dias Patrícia Campos Mello
São Paulo e Washington

Ao desembarcar em Washington, no dia 17 de março, o presidente Jair Bolsonaro será recebido em uma espécie de Santa Ceia da direita na casa do embaixador brasileiro nos EUA, Sérgio Amaral. 

Filósofos, jornalistas e financistas conservadores foram convidados para o jantar e devem influenciar as principais discussões de Bolsonaro durante a visita ao presidente americano, Donald Trump.

Uma lista bastante exclusiva foi elaborada pelo chanceler Ernesto Araújo e pelo diplomata Nestor Forster, cotado para substituir Amaral à frente da embaixada.

Gerald Brant, Eduardo Bolsonaro, Jair Bolsonaro e Shannon O'Neil, em Nova York, em 2017
Gerald Brant, Eduardo Bolsonaro, Jair Bolsonaro e Shannon O'Neil, no Council of Foreign Relations, em Nova York, em 2017 - Reprodução

Nela estão nomes como Gerald Brant, um dos primeiros apoiadores de Bolsonaro entre investidores e empresários nos EUA, e Mary Anastasia O’Grady, colunista e integrante do conselho editorial do Wall Street Journal.

Mary é uma voz influente nos círculos conservadores em defesa de posições mais intervencionistas na região. É grande apoiadora de uma mudança de regime na Venezuela e do endurecimento da relação com Cuba, revertendo a aproximação arquitetada pelo ex-presidente americano Barack Obama.

A ditadura de Nicolás Maduro e a crise na Venezuela serão um dos principais assuntos entre Bolsonaro e Trump, mas integrantes do governo brasileiro afirmam que não haverá mudança de posição sobre a uma possível intervenção no país vizinho. 

A ala militar do Planalto é contra interferências que extrapolem a ajuda humanitária, mesmo que haja apelo direto de Trump para uma ação mais assertiva do Brasil.

Os já habituais bolsonaristas nos EUA, o escritor Olavo de Carvalho e o ex-estrategista de Trump Steve Bannon, também estão confirmados. 

Roger Kimball, editor e publisher da revista literária conservadora New Criterion, e o radialista Dennis Prager são outros que compõem o grupo que receberá Bolsonaro em sua primeira noite na capital americana. A New Criterion publicou um artigo de Ernesto Araújo em janeiro, e o canal da PragerU no YouTube tem 2 milhões de seguidores.

O público do banquete tem o perfil ideológico que Bolsonaro e seus auxiliares buscam desde o começo do governo.

O presidente não é afeito ao contraditório e sua equipe costuma rechaçar ou afastar do cargo pessoas que apresentem qualquer tipo de contraposição a seu pensamento.

Além do jantar na residência do embaixador, o reforço da retórica conservadora —principal plataforma de Jair Bolsonaro durante a campanha— terá outros desdobramentos nos EUA. 

O presidente deve conceder uma entrevista a uma conhecida rede de TVs evangélicas, a Christian Broadcast Network, fundada pelo tele-evangelista Pat Robertson, e se reunir com empresários e investidores.

Na Casa Branca, Bolsonaro e Trump terão uma reunião de trabalho e um almoço na terça-feira (19). Em seguida, haverá um jantar para o líder brasileiro com autoridades americanas na Blair House, que hospedará Bolsonaro.

O presidente chegará a Washington com uma comitiva de pelo menos oito ministros, entre eles Paulo Guedes (Economia) e Sergio Moro (Justiça), além de outros auxiliares do primeiro escalão.

Os ministros terão agendas próprias e, por isso, Moro pode contar com membros de sua equipe para fechar acordos de colaboração entre Brasil e EUA na área de segurança. 

O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, e a diretora de recuperação de ativos e cooperação jurídica internacional, Erika Marena, devem ir à capital americana.

Filho de Bolsonaro que já esteve algumas vezes nos EUA desde a campanha, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também está na comitiva.

Esse é o primeiro encontro bilateral de Bolsonaro desde sua posse, e sua estratégia é mostrar um alinhamento a Trump ancorado justamente em valores ideológicos.

 

Convidados do jantar

Mary Anastasia O’Grady - Colunista e membro do conselho editorial do Wall Street Journal

Roger Kimball - Editor e publisher da revista literária conservadora New Criterion

Dennis Prager  - Radialista conservador 

Gerald Brant - Financista conservador


 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.