Chefe de máfia italiana de Nova York é assassinado

'Frank Boy' era suspeito de dirigir a família Gambino, uma das cinco principais da cidade

Nova York

Um dos mafiosos mais poderosos de Nova York foi morto a tiros em frente à sua casa na noite de quarta-feira (13).

Francesco "Frank" Cali, 53, era suspeito de chefiar a família Gambino, que tem profundos vínculos com a máfia siciliana, desde 2015.

Policiais investigam local onde Francesco "Frank Boy" Cali foi assassinado em Nova York
Policiais investigam local onde Francesco "Frank Boy" Cali foi assassinado em Nova York - Brendan McDermid/Reuters

Segundo a imprensa americana, esse é o primeiro assassinato de um chefe da máfia italiana em Nova York em 34 anos, desde a morte de Paul Castellano —outro chefe da família Gambino— em 1985.

Os Gambino são uma das cinco famílias mais conhecidas da máfia italiana em Nova York, junto aos Genovese, Lucchese, Colombo e Bonanno.

Também chamado de "Frank Boy", Cali foi baleado diversas vezes diante de sua residência em Staten Island, informou a polícia.

Paramédicos o levaram para o hospital Staten Island University North, onde foi declarado morto.

O jornal New York Daily News afirma que Cali, recebeu seis disparos e depois foi atropelado por uma caminhonete, usada pelos agressores para fugir.

Foto de fevereiro de 2008 mostra Francesco 'Frank' Cali após ser preso
Foto de fevereiro de 2008 mostra Francesco 'Frank' Cali após ser preso - Polizia Italiana-7.fev.2008/AFP

Entre 2008 e 2009, Cali passou 16 meses na prisão após ser condenado por extorsão.

Segundo autoridades, a morte de Paul Castellano nos anos 80 foi ordenada por John Gotti, que passou a dirigir os Gambino até 1992, quando foi condenado por formação de quadrilha e cinco homicídios. Gotti morreu em 2002 na prisão.

Cali teria assumido a chefia da família em 2015, substituindo Domenico Cefalu, e era considerado uma figura agregadora nos anos pós-Gotti, afirma a imprensa local.

AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.