Descrição de chapéu Venezuela

Com tropas, aviões militares russos pousam na Venezuela

Aeronaves levaram uma autoridade de defesa russa e quase cem soldados, informam as agências

Imagem de avião com a bandeira russa neste domingo (24), no aeroporto internacional Simon Bolivar em Caracas, na Venezuela
Imagem de avião com a bandeira russa neste domingo (24), no aeroporto internacional Simon Bolivar em Caracas, na Venezuela - Carlos Jasso/Reuters
Caracas

Fruto do fortalecimento dos laços entre Caracas e Moscou, dois aviões da Força Aérea russa desembarcaram no fim de semana no aeroporto de Maiquetía, nos arredores de Caracas.

Um avião de passageiros Ilyushin IL-62 e um cargueiro militar Antonov AN-124 levaram uma autoridade de defesa russa e quase cem soldados ao país, segundo informações das agências de notícias.

Um dos aviões, com a bandeira russa, estaria sob vigilância da Guarda Nacional.

Um site de rastreamento de voos mostrou que as aeronaves partiram de um aeroporto militar russo, na sexta (22), rumo a Caracas. Um deles, o de carga, já deixou a Venezuela neste domingo (24).

O general Vasily Tonkoshkurov, diretor do alto comando das Forças Armadas russas --além de uma carga de cerca de 35 toneladas de equipamentos militares--, estava a bordo de uma das aeronaves.

Não está claro o motivo da chegada dos aviões, que ocorre três meses após as duas nações realizarem exercícios militares em solo venezuelano, ação classificada pelos EUA com invasão russa na região --o elo Caracas-Moscou vem desde o começo do chavismo.

Contatadas, autoridades venezuelanas e russas não se manifestaram.

Rússia e China, principais credores da dívida externa da Venezuela, foram grandes aliados do governo do ditador Nicolás Maduro em meio à pressão internacional para que ele deixe o poder.

Os EUA impuseram sanções contra a Venezuela --no dia 28 de abril, um embargo às exportações venezuelanas de petróleo entrará em vigor.

Os EUA são um dos 50 governos que reconhecem o líder da oposição, Juan Guaidó, chefe do Parlamento, como presidente da Venezuela.

Os aviões chegaram no dia em que Maduro disse que Guaidó armou plano para matá-lo. O opositor negou a acusação neste domingo, afirmou que o ditador quer "distraí-lo com montagens" e prometeu aumentar a pressão das ruas.

Na sexta (22), o presidente Jair Bolsonaro voltou a negar que o Brasil apoiará intervenção militar na Venezuela.

AFP e Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.