Governo Trump conta com interlocução militar do Brasil na Venezuela

Auxiliares do presidente americano dizem que tema será abordado no encontro com Bolsonaro

Marina Dias
Washington

O governo do presidente Donald Trump conta com a interlocução dos militares brasileiros na Venezuela para auxiliar na crise que assola aquele país.

Segundo um funcionário do alto escalão da Casa Branca, o presidente americano acredita que militares brasileiros têm boa relação com seus pares venezuelanos e isso poderia ser, nas suas palavras, uma mensagem poderosa --a Venezuela é o verdadeiro assunto de interesse de Trump no encontro com o presidente Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (19) em Washington.

O funcionário do governo americano afirmou que vê os militares brasileiros como interlocutores importantes, reforçando que a Venezuela será um dos assuntos da visita.

Ainda de acordo com esse auxiliar, Washington e Brasília compartilham o apoio a Juan Guaidó, líder da oposição ao ditador Nicolás Maduro e reconhecido como presidente interino por mais de 50 países (incluindo Brasil e EUA), e têm acompanhado o que, na sua avaliação, é a violência e o sofrimento do povo venezuelano.

Trump já deu sinais de que não descarta uma intervenção na Venezuela e gostaria de sondar Bolsonaro sobre um possível apoio à medida.

O governo brasileiro, por sua vez, não concorda com essa posição e a ala militar do Planalto afirma que nem mesmo um pedido direto do presidente americano a Bolsonaro vai fazer a postura mudar —o Brasil quer se ater às questões de ajuda humanitária na fronteira, mas pode anunciar mais sanções a Venezuela, por exemplo.

A Casa Branca espera que o encontro entre Trump e Bolsonaro avance nesse assunto, mas deixa claro que não haverá resultados quanto a acordos comerciais mais concretos. O governo americano ressalta que essa visita será uma oportunidade para melhorar a relação econômica entre os dois países.

O Brasil trabalha até o último minuto para que os EUA anunciem apoio formal à sua entrada na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), mas o governo americano se divide sobre o assunto.

Um integrante da Casa Branca diz que os EUA veem de maneira positiva os esforços do Brasil para se adequar à OCDE e que vão fazer de tudo para ajudar o país com seu objetivo.

A expectativa do Planalto é que Trump anuncie apoio após um pedido direto feito por Bolsonaro durante a reunião.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.