A empresários em Israel, Bolsonaro diz que Brasil está à disposição de quem quer investir

Presidente também afirma que Brasil e Israel são noivos e é aplaudido

O presidente Jair Bolsonaro fala em evento com empresários israelenses e brasileiros, em Jerusalém
O presidente Jair Bolsonaro fala em evento com empresários israelenses e brasileiros, em Jerusalém - Ronen Zvulun - 2.abr.19/Reuters
Jerusalém e Brasília

O presidente Jair Bolsonaro participou, nesta terça-feira (2), de um seminário com centenas de empresários brasileiros e israelenses em Jerusalém, com a presença do primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu. Diante dos presentes, ele passou seu principal recado: "novos tempos".

"O recado que eu dou aos senhores é de confiança, de novos tempos, novos horizontes", afirmou Bolsonaro. "Estamos à disposição de quem quer investir no Brasil. Vocês poderão ter certeza de que serão bem acolhidos, serão bem tratados e poderão confiar em nosso trabalho."

“Há pouco nos tornamos noivos, no bom sentido, abrindo aqui uma representação nossa de negócios, de tecnologia, de pesquisa, de inovação em Jerusalém, os senhores começam...”, discursava o presidente, ao ser interrompido por aplausos de nove segundos. “...Cada vez mais a notar que esse nosso relacionamento veio para ficar”, continuou.


A decisão de abrir o escritório, em vez de já anunciar a transferência da embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, frustrou o premiê israelense Binyamin Netanyahu e parte das comunidades evangélica e judaica. Ao mesmo tempo, irritou a Autoridade Palestina.

Em meio a escândalos de corrupção, Netanyahu enfrentará as urnas em seu país ameaçado de não se reeleger. Uma mudança da embaixada brasileira seria um ativo eleitoral para ele apresentar a parcela do eleitorado israelense.

Bolsonaro voltou a chamá-lo de “prezado irmão”, como havia feito ao chegar ao país. Netanyahu o chamou de “meu amigo” no evento desta terça.

“Eu acredito que não haja hoje no mundo melhor parceria do que a parceria entre Brasil e Israel”, retribuiu o israelense em seu discurso. "Podemos ser o seu parceiro perfeito. Não temos limitação. O céu é o limite. E os recebemos como nossos amigos queridos. Meu amigo Jair, falo do coração: temos uma irmandade agora."

“Eu vi na minha visita ao Brasil, fiquei profundamente tocado, você pode ver aqui, na sua visita. Estivemos no Muro [das Lamentações] ontem. Temos uma oportunidade maravilhosa de mudar o mundo e mudar o nosso futuro para o melhor”, declarou.

Segundo relatos de quem estava presente, o discurso de Netanyahu empolgou mais o público do que o de Bolsonaro. Um terço da plateia deixou o evento sem ver as apresentações dos ministros.

Sendo a pesquisa científica e a educação os pilares do desenvolvimento de Israel, o presidente brasileiro se disse impressionado com a religiosidade do país.

“Israel é menor que o menor estado brasileiro, que é Sergipe. Quero repetir o que eu falei muito durante a minha pré-campanha, depois de uma passagem por Israel. Com todo o respeito, capitão Binyamin Netanyahu. Israel, perto do Brasil, em recursos naturais, não tem quase nada. Mas o seu povo tem a fé acima de tudo”, declarou.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, também fez menção à espiritualidade em sua fala.

“Jerusalém é um símbolo perfeito do que nós queremos alcançar. É um símbolo de desenvolvimento, crescimento, tecnologia, criatividade. Ao mesmo tempo, é um símbolo que devemos cultivar em sua dimensão espiritual”, afirmou Araújo.

“Estivemos em eventos de negócios nesses dias onde falamos das últimas tecnologias e recitamos a Bíblia”, disse.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.