Descrição de chapéu Deutsche Welle

Aos 100 anos, alemã quer estrear na política

Lisel Heisel, ex-professora de educação física, quer reabertura da piscina pública de sua cidade

DW

Logo após Lisel Heise completar 100 anos, num momento em que a maioria das pessoas prefere reduzir suas atividades, a ex-professora de educação física decidiu se candidatar a uma vaga no conselho municipal de sua cidadezinha natal, Kirchheimbolanden, no sudoeste da Alemanha, com quase oito mil habitantes.

Nascida logo após a Primeira Guerra Mundial, Heise está canalizando sua paixão para a política local –em particular, para sua campanha a favor da reabertura da piscina pública ao ar livre da cidade.

Lisel Heise faz sinal de vitória em Kirchheimbolanden, no sul da Alemanha - Kai Pfaffenbach -11.abr.19/Reuters

Lisel decidiu se candidatar ao ser consultada pelo grupo popular local Wir für Kibo ("nós por Kirchheimbolanden"), que faz uma campanha por maior transparência e envolvimento público na política regional.

Concorrendo à eleição, ela espera ter sua voz finalmente ouvida depois de anos se sentindo ignorada pelas autoridades locais. Ela costuma citar a maneira como o microfone era tirado de sua mão em reuniões públicas, sempre que mencionava o assunto da piscina.

A aposentada lamenta a perda da piscina —fechada em 2011– afirmando que era um "paraíso para as crianças", que a cidade nunca deveria ter deixado fechar.

"Eu cresci lá", diz. "Eu sei, por experiência própria, como ela é importante, tanto para o espírito, quanto para o corpo."

"Tenho tantos ex-alunos, e eles sempre têm a mesma queixa. Por que eles estão fechando as piscinas ao ar livre?", questiona. "O mais importante é que as crianças permaneçam saudáveis quando são jovens. Se o corpo não for saudável e funcionar adequadamente, a mente não funciona adequadamente", argumenta.

Quanto a seus pontos de vista políticos mais amplos, ela é pró-europeia –acha que o brexit nunca deveria ocorrer– e saúda os esforços dos jovens na campanha contra a mudanças climáticas. Mas teme que a sociedade esteja emburrecendo.

"Basta ligar a televisão. Durante o dia, só tem blá blá blá. As coisas que são realmente interessantes, politicamente interessantes, só passam à noite quando os trabalhadores estão dormindo. Como resultado, eles não são devidamente informados”, avalia a idosa.

Thomas Bock, que lidera a iniciativa Wir für Kibo, espera que a popularidade de Lisel possa ajudar o grupo a ganhar mais um assento, superando os 24 lugares que já detém no conselho municipal da cidade.

"Ela é muito conhecida em Kirchheimbolanden", diz Bock. "Quase todo mundo que tem mais de 40 anos já teve aula com ela na escola. É possível que ela tenha um resultado bem melhor do que qualquer outra pessoa."

Equipe de TV filma Lisel Heise, 100, em Kirchheimbolanden (Alemanha) - Kai Pfaffenbach - 11.abr.14/Reuters

Com sua candidatura, Lisel segue os passos do pai, que era membro do conselho antes da Segunda Guerra Mundial. Ele foi preso por quatro semanas depois de criticar a destruição de sinagogas pelo regime nazista.

"A ideia real de se candidatar veio do filho de Lisel", ressalta Bock. "Ele disse: 'Pergunte à minha mãe, ela ficaria feliz em fazer alguma coisa, mas é muito cautelosa.' Então nós perguntamos a ela e ela topou."

Lisel é tão popular na cidade que centenas de antigos e atuais alunos foram à casa dela para cantar parabéns em seu centésimo aniversário.

"Ela se dá muito bem com as pessoas", acrescenta Bock. "É boa em lidar com as pessoas e geralmente é muito querida. Podemos usar essa popularidade nas eleições, e agora ela será ouvida."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.