Após acusações de assédio, Biden diz que vai respeitar 'espaço pessoal'

O ex-vice-presidente deve anunciar sua pré-candidatura à Presidência dos EUA nas próximas semanas

Washington | Reuters

O ex-vice-presidente dos EUA Joe Biden, 76, prometeu nesta quarta-feira (3) respeitar o "espaço pessoal" depois de quatro mulheres reclamarem de terem sido tocadas de maneira inapropriada por ele em eventos políticos. 

Espera-se que Biden anuncie nas próximas semanas sua pré-candidatura nas eleições presidenciais de 2020 pelo Partido Democrata. 

O ex-vice-presidente dos EUA Joe Biden, em imagem capturada de vídeo - Joe Biden/Divulgação/Reuters

Na semana passada, a ex-deputada estadual Lucy Flores, de Nevada, acusou Biden de beijá-la na nuca em um evento de campanha em 2014. 

Desde então, outras três mulheres disseram que Biden as deixou desconfortáveis agindo de maneira semelhante.

O ex-vice de Barack Obama afirmou que é um "político tátil" que gosta de interagir com o público e que nunca pensou que havia agido de maneira inapropriada. 

"As normas sociais estão mudando", afirmou Biden no vídeo. "Entendi isso e escutei o que essas mulheres estão dizendo."

"A política para mim sempre teve a ver com conectar-se, mas estarei mais atento quanto a respeitar o espaço pessoal no futuro. É minha responsabilidade, e a cumprirei."

Biden é conhecido por fazer campanha de modo efusivo, com abraços e toques físicos. No entanto, seus gestos estão sendo reavaliados de outra forma na era do #MeToo, na qual aumentaram as denúncias de casos de assédio e constrangimentos a mulheres. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.