Assange andava de skate na embaixada do Equador e não tomava banho

Desgaste entre fundador do WikiLeaks e anfitriões contribuiu para fim de asilo

São Paulo

Nesta quinta-feira (11), em um vídeo publicado em suas redes sociais, o presidente equatoriano, Lenín Moreno, destacou “a conduta desrespeitosa e agressiva de Julian Assange” como um dos motivos para sua decisão de revogar o asilo concedido ao fundador do WikiLeaks.

Durante sete anos, Julian Assange ocupou um pequeno quarto na Embaixada do Equador em Knightsbridge, uma das áreas mais luxuosas de Londres.

Diversos relatos desse período mostram que o comportamento do australiano foi, aos poucos, desgastando sua relação com os funcionários da repartição.

A ministra do Interior do Equador, María Paula Romo, afirmou nesta quinta que o ex-chanceler Ricardo Patiño “tolerou coisas como fezes que Assange passou nas paredes da embaixada” e outros comportamentos “longe do mínimo respeito esperado de um hóspede”. 

Patiño serviu durante o governo do presidente Rafael Correa, que decidiu conceder o asilo ao fundador do WikiLeaks.

Em 2014, o jornal New York Times teve acesso a uma carta de Juan Falconí Puig, então embaixador equatoriano no Reino Unido, endereçada ao Ministério de Relações Exteriores de seu país, em que relatava o crescente ressentimento de sua equipe.

Segundo o diplomata, Assange andava de skate pelos corredores, “danificando o piso, paredes e portas”.

À época, o governo do Equador pediu que ele limpasse o quarto, que tinha cama, luminária, telefone, computador, uma pequena pia equipada com fogão, forno e um frigobar, uma esteira e prateleiras.

Também foi pedido que ele cuidasse melhor de seu gato.

 

​Uma pessoa próxima a Assange afirmou ao jornal International Business Times que ele tinha má higiene e não tomava banho regularmente.

“É uma pequena embaixada com uma pequena varanda. Apertada, quente e sem uma boa circulação de ar”, disse Vaughan Smith, um apoiador de longa data, ao New York Times. 

“Não deve ter sido fácil para ninguém ali”, acrescentou.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.