Ex-vice-presidente Joe Biden é acusado de tocar mulheres de forma inapropriada

Democrata é cotado para disputar a presidência dos Estados Unidos em 2020

Joe Biden, em discurso em Dover, Delaware - Saul Loeb - 16.mar.2019/AFP
Washington | AFP e Reuters

Uma mulher do estado de Connecticut disse que Joe Biden a tocou de forma inapropriada e roçou seu nariz com o dela em um evento de campanha em 2009. É a segunda pessoa em três dias que acusa o ex-vice presidente dos EUA de tocar mulheres de forma inapropriada. Biden é cotado para disputar a Casa Branca em 2020.

"Não foi algo sexual, mas ele me agarrou pela cabeça", disse Amy Lappos, 43, na segunda-feira (1º), sobre seu encontro com Biden em um evento em Greenwich, Connecticut. "Ele colocou suas mãos ao redor do meu pescoço e me puxou para roçar narizes comigo. Quando ele me puxou, pensei que ele iria me beijar na boca."

Lappos disse que não denunciou o caso porque acreditou que não prosperaria, mas afirma que Biden cruzou a linha da decência e do respeito. 

A moradora de Connecticut publicou um relato sobre o caso numa rede social no domingo (31), depois que a ex-deputada estadual de Nevada Lucy Flores acusou Biden de beijá-la na nuca em um evento em 2014.

Biden ao lado de Lucy Flores, deputada que o acusou de ter dado um beijo inapropriado em sua cabeça - Ethan Miller - 1.nov.2014/AFP

As acusações podem gerar problemas para uma possível campanha presidencial de Biden, que era vice de Obama no período em que os casos relatados teriam acontecido. A expectativa é que sua candidatura seja anunciada nas próximas semanas. Biden tem liderado as pesquisas de intenção de voto entre os nomes democratas. 

Em resposta às queixas, um porta-voz de Biden exibiu fotos "manipuladas ou enganadoras" que circulam na internet há anos, nas quais se pode ver o que o próprio Biden, 76, descreve como um estilo de campanha "tátil".

"Estas difamações e falsificações existem há algum tempo na obscuridade da internet", disse o porta-voz Bill Russo, em referência a várias imagens de Biden com mulheres e crianças. "Até hoje, os trolls de direita e outros continuam explorando isso." 

Biden é conhecido por fazer campanha de modo efusivo, com abraços e toques físicos. No entanto, seus gestos estão sendo reavaliados de outra forma na era do #MeToo, na qual aumentaram as denúncias de casos de assédio e constrangimentos a mulheres. 

"Há uma linha de decência, de respeito. Cruzar essa linha não é cultural. Não é afeição. É sexismo ou misoginia", disse Lappos. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.