Descrição de chapéu The Washington Post

Festas de divórcio são nova tendência em Las Vegas

'Cidade do Pecado' encontra formas criativas para entreter os recém-solteiros

Sarah Firshein
The Washington Post

Em outubro de 2015, Ariel Khawaja viajou para Cozumel, no México, para dizer "Eu aceito" diante de um grupo de 55 convidados.

Três anos depois ela juntou suas duas melhores amigas para a acompanharem a Las Vegas enquanto ela dizia duas outras palavras mágicas: "Eu não". 

Ancorando a viagem em torno de um show de Drake, a jovem de 28 anos que trabalha com imóveis preencheu sua semana jogando, dançando no 1 OAK, festejando à beira da piscina no clube Wet Republic no MGM Grand, ou apenas recarregando a bateria.

 
Festas de divórcio representam cerca de 10% dos negócios da agência Vegas Girls Night Out
Festas de divórcio representam cerca de 10% dos negócios da agência Vegas Girls Night Out - DFH Photo

"Las Vegas é divertida o tempo todo, mas quando você está lá para se divorciar, você realmente se sente livre", diz Khawaja, que mora em Houston, no Texas.

"Quando você comemora uma mudança tão grande, você vive o momento e não se preocupa com o que aconteceu ontem. Eu não paguei para ter um velório —queria relaxar e me divertir com minhas amigas depois do inferno que passei."

Se a franquia de filmes "Se Beber, Não Case!" cimentou a reputação de Las Vegas como a cidade definitiva para despedidas de solteiro, Khawaja e outras viajantes que adoram se divertir estão ajudando a defini-la como o contrário: o destino perfeito para festas de divórcio. 

Muitas vezes uma escapada exultante de vários dias, essas férias celebram, e não lamentam, o fim de um casamento. E numa cidade versada em hospitalidade extravagante os locais estão encontrando maneiras criativas de ajudar homens e mulheres divorciados a adotar sua nova situação de relacionamento.

Embora a Autoridade de Convenções e Turismo de Las Vegas (LVCVA na sigla em inglês) não siga ativamente os números de festas de divórcio, também não evita o assunto, e os veteranos da hospitalidade local viram as festividades em primeira mão. 

Centro de Las Vegas, Nevada, Estados Unidos
Centro de Las Vegas, Nevada, Estados Unidos - Getty Images

Adam Clough ouviu falar no conceito pela primeira vez dez anos atrás, mas diz que ele decolou mais recentemente. Certa vez ele ajudou um hóspede a festejar seu divórcio na companhia dos ex-padrinhos. 

"As pessoas começaram a nos dizer que queriam um recomeço", diz Clough, diretor-executivo de vendas sociais e operações de recepção na MGM Resorts, que tem 12 propriedades na Strip.

"A princípio pensamos: bem, isto é algo diferente. Mas as pessoas vêm a Las Vegas para comemorar, e vêm para eventos devastadores, então de certa forma faz sentido."

Preferindo o nome de "viagem de garotas" ou "viagem de amigos", Julie Banning, assessora de viagens na Embark, afiliada à Virtuoso, viu a tendência crescer nos últimos anos.

"Ultimamente vimos muita gente encontrando qualquer desculpa para viajar", diz Banning, que planejou várias dessas viagens de amigas, na maioria para mulheres hétero.

"Antes costumava ser de lua de mel, agora você viaja numa 'minilua' antes de ir para a lua de mel. É como uma daquelas viagens marcantes, do tipo: 'Está bem, acho que agora vou fazer minha viagem de divórcio'."

Alguns anos atrás, quando Bri Steck, natural de Las Vegas, estava decidindo como ia chamar sua empresa novata de acompanhantes —que organiza jantares, vida noturna e entretenimento para turistas dispostos a festejar—, ela evitava propositalmente a palavra "solteira".

Para atender à demanda crescente de festas de divórcio, hoje cerca de 10% de seus negócios, ela optou por Vegas Girls Night Out (VGNO), ou Saída Noturna de Garotas em Vegas.

"Sei que as solteiras enlouquecem, mas só até certo ponto, porque elas se preparam para passar o resto da vida com alguém", diz Steck. "Quando você faz uma festa de divórcio, não precisa se preocupar com mais ninguém. Não há culpa. Não há ninguém para ter de se explicar em casa."

Banning diz que um grupo de amigas comemorando um divórcio pode ser um pouco mais velho e mais endinheirado do que um bando de futuras madrinhas. Isso significa drinques em um bar exclusivo, em vez de "Jell-O shots" [doses de vodca com gelatina], e acomodações mais espaçosas em vez de amontoar dez pessoas em um quarto de hotel. 

"Essas senhoras estão estabelecidas", diz ela. "Elas já deram a volta no quarteirão. Não usam chapéus de pênis. Não usam camisetas iguais. Você pode ter um pouco de loucura e depois voltar para sua linda suíte."

Houve um tempo em que uma viagem à Cidade do Pecado poderia significar uma tarde inteira numa mesa de pôquer enfumaçada, mas hoje os visitantes escolhem entre uma série de atividades mais diversificadas. Segundo o estudo de Perfil de Visitantes a Las Vegas 2018, que acaba de ser lançado pela LVCVA, embora 74% dos visitantes tenham jogado durante sua estada na cidade, 67% o fizeram durante duas horas ou menos por dia. Isso deixa muito tempo para empreitadas como assistir a shows, a opção preferida por 60% dos turistas. 

Ou, como alguém disse a Clough, da MGM: "Eu quero fazer coisas boas durante o dia e coisas más à noite".

Alguns locais adotaram plenamente sua originalidade veguiana atendendo especificamente a turma do divórcio. Por exemplo, o pacote Recém-Divorciada (US$ 499) no Machine Gun Las Vegas, que se autodescreve como "uma raia de tiro de luxo", incentiva as divorciadas a usarem uma metralhadora contra seu vestido de noiva e a certidão de casamento enquanto usam uma faixa preta de "Recém-Divorciada".

Mas muitas vezes a própria Las Vegas é suficiente, sem a necessidade de um rótulo oficial de festa de divórcio. As clientes de Banning escolheram atividades que seus maridos teriam desdenhado, como um passeio de helicóptero sobre o Grand Canyon ("O marido dela dizia: 'Isso é uma perda de tempo, é turístico demais'."), lugares de primeira para ver Jennifer Lopez e visitas privativas a Britney Spears. 

Colar os farrapos de um coração partido com muito pouca roupa também é uma opção popular.
As clientes da VGNO apreciam especialmente os assentos VIP no Thunder From Down Under –isto é, ao redor das mesas sobre as quais dançam os australianos de fio-dental besuntados de óleo. O marido de Steck é sócio da revista masculina.

No Chippendales, a Divorcé Play (a partir de US$ 149 por pessoa), muitas vezes contratada não pela própria divorciada, mas por uma amiga próxima, faz um pacote com alguns dos benefícios típicos da revista masculina –transferência em limusine, assentos VIP e gritos em cima do palco– que atinge o apogeu.

Os clubes de strip-tease também são uma opção popular. "Seu espírito estará loucamente elevado quando você sair", brinca Lindsay Feldman, diretora de marketing da Crazy Horse 3, um clube de homens elegante que abrigou festas de divórcio de celebridades (em noites seguidas) para Colt Johnson e Larissa dos Santos Lima, os astros ex-casados de 90 Day Fiancé da TLC, assim como a atriz e personalidade da mídia Courtney Stodden.

Detalhes sob medida –uma "piñata" em forma de revólver para Lima; um bolo de casamento cortado pela metade, com três andares, mostrando a noiva chutando o noivo para fora para Stodden– salientam o tema do empoderamento. 

"Os divórcios são obviamente muito delicados, mas também simbolizam a liberdade, e essas festas são sobre o 'divórcio de poder'", diz Feldman. "Elas têm a ver com deixar todo mundo realmente feliz e entusiasmado. São para comemorar em um clima dinâmico com pessoas que a amam."

O clima de confiança e sensual acarreta outra verdade inalienável: Las Vegas é um dos melhores lugares do mundo para solteiros. 

"Não há muitos outros lugares no mundo onde, qualquer que seja a sua idade, você vai encontrar alguém que vai fazê-la se sentir especial", diz Banning, a assessora de viagens. "E isso é terapêutico, porque você volta da viagem e pensa: 'Posso estar divorciada, mas vivi tudo aquilo'."

Da Bloomberg; tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.