Macron lamenta incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris; veja repercussão

Angela Merkel e Donald Trump também comentaram a tragédia

São Paulo

O presidente da França, Emmanuel Macron, lamentou o incêndio que atingiu a catedral de Notre-Dame, em Paris, nesta segunda-feira (15), que descreveu como "a emoção de toda uma nação".

"Como todos os nossos compatriotas, estou triste de ver esta parte de nós queimando", escreveu o presidente em uma rede social.

Após tomar conhecimento do ocorrido, Macron adiou um discurso que faria nesta segunda sobre medidas econômicas para aplacar os protestos liderados pelos "coletes amarelos".

François Hollande, antecessor de Macron na Presidência francesa, também lamentou o ocorrido e cumprimentou os bombeiros que trabalham no combate às chamas.

"Notre-Dame é nosso patrimônio coletivo, me dói vê-lo ser destruído pelas chamas", disse. 

O arcebispo de Paris, Michel Aupetit, está no local e acompanha o trabalho dos bombeiros. "É um drama", disse ao jornal Le Parisien. A arquidiocese de Paris ainda não fez nenhum pronunciamento oficial sobre o caso.

"Talvez aviões com tanques de água deveriam ser postos em ação. É preciso agir rápido!", escreveu Donald Trump, presidente dos EUA, em uma rede social. 

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que a catedral é um símbolo da França e da cultura europeia. 

"Estas imagens horríveis de Notre-Dame em chamas doem. Nossos pensamentos estão com os amigos franceses", tuitou o porta-voz da chanceler, Steffen Seibert.

 

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.