Ataque contra hotel de luxo planejava 'sabotar prosperidade' do Paquistão, diz premiê

Embate com atiradores deixou cinco mortos e seis feridos na cidade de Gwadar, no sudoeste do país

Fachada do hotel cinco estrelas Pearl Continental, localizado na cidade paquistanesa de Gwadar
Fachada do hotel cinco estrelas Pearl Continental, localizado na cidade paquistanesa de Gwadar - Banaras Khan/AFP
Islamabad | AFP

O ataque de um grupo de homens armados a um hotel de luxo em Gwadar, cidade no sudoeste do Paquistão, deixou saldo de cinco mortos e seis feridos, anunciou neste domingo (12) o Exército do país.

O ataque na cidade onde a China constrói um porto de águas profundos, no âmbito dm um amplo programa bilateral de investimentos, almeja "sabotar os projetos econômicos e a prosperidade" do Paquistão, afirmou neste domingo o primeiro-ministro, Imran Khan.

Dos cinco mortos, quatro eram funcionários do hotel, e o último era um soldado. Entre os feridos estão quatro militares e dois integrantes da equipe do hotel, informou o Exército num comunicado. Segundo a nota, três terroristas morreram. 

Neste sábado (11), os militares tinham anunciado a morte de um guarda que tinha resistido a "três terroristas" que quiseram "entrar à força no PC" (Pearl Continental).

Pelo Twitter, o atentado foi reivindicado por um grupo separatista, o Exército de Libertação do Baluchistão (ELB), a província mais instável e pobre do país.

O ELB é um dos muitos grupos insurgentes que lutam nesta província atingida pela violência separatista, islamista e sectária há anos. 

"Tentativas como esta, particularmente no Baluchistão, constituem esforços para sabotar nossos projetos econômicos e nossa prosperidade", lamentou o primeiro-ministro, Imran Khan, em comunicado.

O Pearl Continental Hotel é o principal estabelecimento de um megaprojeto bilionário da China em Gwadar. Esse é o único hotel de luxo em Gwadar, uma vila de pescadores que agora recebe delegações empresariais do Paquistão ou estrangeiras, bem como diplomatas, que visitam a cidade. 

O gigantesco projeto de infraestrutura visa conectar a província chinesa ocidental de Xinjiang a Gwadar, no Mar da Arábia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.