Descrição de chapéu Brexit

Boris Johnson é favorito para suceder May como premiê britânico; conheça os candidatos

Ex-prefeito de Londres foi um dos maiores defensores do brexit na votação de 2016

São Paulo e Londres | Reuters

Boris Johnson, o garoto-propaganda da campanha oficial do brexit em 2016, é o favorito para suceder Theresa May no cargo de primeiro-ministro do Reino Unido. Ela anunciou que renunciará em 7 de junho

Horas depois do anúncio, Johnson disse que irá competir "com certeza" pelo cargo. "Um novo líder terá a oportunidade de fazer as coisas de modo diferente", afirmou, na Suíça. 

Da esq. p/a a dir.: Boris Johnson, Jeremy Hunt, Michael Gove, Dominic Raab e Sajid Javid A - AFP

Os mercados de aposta estimam em 40% a probabilidade implícita de Johnson conseguir o principal cargo do país.

Outros nomes citados nas apostas são de Dominic Raab (14%), ex-secretário do brexit, Andrea Leadsom (7%), ex-líder na Câmara dos Comuns, e Jeremy Hunt (7%), atual chanceler.

As apostas também citam Penny Mordaunt (4%), secretário de Defesa, Rory Stewart (4%), secretário de Desenvolvimento Internacional, e Sajid Javid (3%), secretário do Interior.

A escolha do novo premiê será feita em duas etapas. Primeiro, os 313 parlamentares do Partido Conservador escolherão dois nomes dentre eles para disputar os votos de cerca de 120 mil eleitores filiados ao partido. 

A seguir, breves perfis dos principais candidatos:

Boris Johnson, 54

Um dos políticos britânicos mais conhecidos, foi o rosto oficial da campanha do brexit em 2016, mas não assumiu o cargo de primeiro-ministro.

Johnson foi prefeito de Londres e chanceler de May, cargo do qual renunciou em julho de 2018 por discordar da forma como a negociação do brexit estava sendo tratada.

Ele é a favor de uma saída sem acordo, mas gerenciada, de modo a criar um novo acordo de livre comércio. Também defende que o partido volte a seus valores tradicionais, como a defesa de impostos mais baixos. 


Dominic Raab, 45

Raab renunciou ao cargo de ministro do brexit na gestão de May no ano passado, após cinco meses no cargo, por discordar dos rumos da negociação.

Ele fez campanha para o brexit em 2016 e defende que haja novas tentativas de negociar o tema da fronteira entre as Irlandas, mas diz estar preparado para uma saída da UE sem acordo.


Andrea Leadsom, 56

Também fez campanha pelo brexit. Em 2016, foi uma das duas finalistas na disputa interna do partido pelo cargo de primeira-ministra, ao lado de May, mas renunciou. 

O gesto ocorreu após a repercussão ruim de uma entrevista na qual dizia estar mais preparada para o cargo por ser mãe, ao contrário de May. 

Ela diz ser contrária a uma segunda votação sobre o brexit, e considerou que o acordo atual com a UE não trará uma soberania verdadeira ao Reino Unido.


Jeremy Hunt, 52

Hunt substituiu Johnson como chanceler em julho de 2018. Antes, foi ministro da Saúde durante seis anos. 

Ele votou contra o brexit no plebiscito de 2016, mas nos anos seguintes buscou deixar claro que mudou de lado. Em um discurso em 2018, comparou a UE com a antiga União Soviética.

Defende que a saída do bloco seja feita por meio de um acordo, mas diz estar pronto para um brexit sem negociação, caso seja necessário.


Penny Mordaunt, 46

Primeira mulher a se tornar secretária de Defesa no país, assumiu o cargo neste mês.

Reservista da Marinha, ela também atuou como secretária de Desenvolvimento Internacional.


Rory Stewart, 46

Ex-diplomata, assumiu o cargo de Secretário de Desenvolvimento Internacional neste mês. 

Ele votou contra o brexit em 2016 e é contrário à saída sem acordo. Foi um dos defensores do acordo fechado por May. 


Sajid Javid, 49

Ex-banqueiro e filho de um motorista de ônibus paquistanês, é secretário de Assuntos Domésticos. Foi secretário de negócios no governo de David Cameron.

Ele votou contra o brexit em 2016, mas depois mudou de ideia e adotou postura dura contra a imigração. 


Michael Gove, 51

Atual ministro do Ambiente, foi uma das lideranças da campanha pelo brexit em 2016. 

Antes, foi secretário da Educação. Na função, desagradou muitos professores e pais por fazer mudanças nas escolas.

Sua posição é de buscar evitar uma saída do Reino Unido sem acordo com a UE. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.