Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Em primeiro dia na Apex, militar demite diretores ligados a Ernesto Araújo

Sergio Segovia Barbosa destituiu responsáveis por negócios e gestão corporativa, apontados como pivôs de crise

Ricardo Della Coletta
Brasília

Em seu primeiro dia na presidência da Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), o contra-almirante Sergio Ricardo Segovia Barbosa demitiu os dois diretores apontados como pivôs de uma crise que desde o início do governo Jair Bolsonaro já causou o afastamento de dois presidentes da agência.

Em nota publicada nesta segunda-feira (6), a assessoria de imprensa da Apex informou que Segovia destituiu Letícia Catelani da diretoria de Negócios e Marcio Coimbra da diretoria de Gestão Corporativa da entidade. 

Tanto Catelani quanto Coimbra foram indicados pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e assumiram as diretorias da Apex com o apoio de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara e filho do presidente da República. 

"Em breve serão informados os nomes dos novos ocupantes dos referidos cargos, cuja indicação estará sob responsabilidade do Conselho Deliberativo Administrativo", afirma a nota.

O presidente Jair Bolsonaro nomeou o militar para presidência a Apex —que atua na promoção de produtos brasileiros no exterior— para estancar a crise que dominou a agência desde o início do governo. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União da última sexta-feira (3).

Segovia é o terceiro presidente da agência em pouco mais de quatro meses. Antes dele, passaram pela presidência e perderam o cargo Alecxandro Carreiro e o embaixador Mario Vilalva.

Carreiro teria se desentendido com Catelani e foi demitido menos de dez dias após assumir o cargo. Já Vilalva teve seus poderes esvaziados em uma manobra estatutária promovida pelo chanceler, que transferiu várias atribuições da presidência da agência para os dois diretores.

Sergio Ricardo Segovia Barbosa fez parte da missão brasileira na Antártida em 2009 como comandante no Navio Polar Almirante Maximiano
Sergio Ricardo Segovia Barbosa fez parte da missão brasileira na Antártida em 2009 como comandante no Navio Polar Almirante Maximiano - Eduardo Knapp - 28.nov.09/Folhapress

Em entrevista à Folha, o embaixador disse que Coimbra e Catelani eram pessoas "despreparadas e irresponsáveis" e acusou Ernesto Araújo de falta de lealdade, declarações que levaram à sua demissão em 9 de abril. 

Desde a saída de Vilalva, o núcleo militar do governo intensificou a pressão sobre Bolsonaro para que os dois diretores deixassem a Apex.

Diante da pressão, Coimbra se antecipou e comunicou o governo, no final de abril, que pretendia deixar o posto.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.