Nasce o filho de Harry e Meghan, primeiro bebê inter-racial na história recente da monarquia britânica

'É uma coisinha linda de morrer', diz o príncipe ao anunciar nascimento do menino, sétimo na sucessão real

São Paulo e Londres | Reuters e AFP

​Nasceu nesta segunda-feira (6), em Londres, o novo integrante da família real britânica, filho do príncipe Harry e de sua mulher, Meghan Markle, e descrito pelo pai como "uma coisinha linda de morrer". 

 
É o primeiro bebê inter-racial na história recente da monarquia britânica. Meghan, 37, uma atriz americana, é filha de mãe negra e pai branco. O novo nenê real é o sétimo na linha de sucessão do trono britânico, atrás de seu avô Charles, de seu tio William, de seus primos George, Charlotte e Louis e de seu pai.

O menino nasceu com 3,2 quilos às 5h26 desta segunda (1h26 no horário de Brasília), mas o anúncio só foi feito mais de nove horas depois. Mais cedo, o Palácio de Buckingham tinha confirmado que Meghan tinha entrado em trabalho de parto. O sexo do bebê era segredo até o nascimento.

"Estou muito feliz de anunciar que Meghan e eu tivemos um bebê nesta manhã —um menino muito saudável", disse um sorridente Harry, 34, a jornalistas do lado de fora do Frogmore Cottage, a residência do casal, próxima ao Palácio de Windsor. 

“Mãe e bebê estão passando incrivelmente bem. Foi a experiência mais incrível que eu posso imaginar. Como qualquer mulher faz isso está além da minha compreensão, e estamos muito emocionados”, completou ele minutos após o casal ter anunciado o nascimento nas redes sociais. 

A imprensa britânica especula que a criança tenha nascido em Frogmore Cottage ou em algum local na propriedade e não no hospital, mas não há confirmação oficial sobre o lugar do nascimento. Meghan já tinha expressado o desejo de ter o bebê em casa.  

O príncipe também afirmou que, apesar da demora para o nascimento da criança —a imprensa local previa o nascimento para meados de abril—, o casal não decidiu o nome do bebê e que ele só deve ser apresentado publicamente em dois dias.  

​​Meghan anunciou em 15 de outubro de 2018 que estava grávida, cerca de cinco meses após seu histórico  casamento com Harry, filho caçula do príncipe Charles e da princesa Diana (1961-1997).

O casamento foi visto como um sinal de modernidade na família real, já que Meghan, além de ser americana e inter-racial, também é divorciada. O bebê terá, inclusive, direito a cidadania americana. 

A cerimônia contou com a presença de estrelas de Hollywood, de um bispo afro-americano e de um coral gospel, elementos considerados inovações para a tradicional família real britânica. 

Historiadores debatem se Meghan é a primeira integrante inter-racial da realeza britânica. Isso porque a rainha Charlotte de Mecklenburg-Strelitz (1744-1818), mulher do rei George 3º, tinha ascendência africana.

Embora Meghan não tenha tocado no assunto desde que se tornou noiva de Harry, ela sempre se identificou como inter-racial e por diversas vezes relatou casos de racismo que sofreu por ter sido criada em um bairro branco de Los Angeles.

Em 2016, quando os dois namoravam, Harry criticou publicamente os tabloides britânicos pelo modo como tratavam a questão racial.

O príncipe tem histórico de conflito com a imprensa, especialmente com tabloides sensacionalistas, e sempre defendeu seu direito a privacidade. 

Por isso, o casal anunciou em abril que não posaria para a tradicional foto imediatamente após o nascimento e manteve em sigilo a maior parte das informações sobre a gravidez, incluindo a data prevista para o nascimento. 

Não se sabe, também, se o bebê receberá algum título de realeza e se será chamado de príncipe. Cabe a rainha Elizabeth 2ª conceder ou não a honraria, mas ela deve consultar Harry para saber o que o neto deseja.

Segundo a rede britânica BBC, a tendência é que a criança receba o título de conde de Dumbarton, mas há precedente na família real de recusas em receber a honraria.

É o caso da princesa Anne, segunda filha da rainha Elizabeth, que recusou os títulos reais para seus dois filhos, Peter e Zara. Ela justificou a medida afirmando que queria que as crianças tivessem uma vida comum.

Toda a família real, incluindo a rainha Elizabeth, foi avisada logo depois do nascimento, assim como a família de Diana, mãe do príncipe Harry. Já a mãe de Meghan, Doria Ragland, está ao lado da filha e de Harry em Frogmore Cottage, informou o palácio de Buckingham.  

A criança é o quarto neto de Charles e o oitavo bisneto da rainha Elizabeth. 

O nascimento fez até mesmo governo e oposição deixarem de lado por alguns instantes os intermináveis debates sobre o brexit para saudar o novo bebê. Tanto a primeira-ministra, a conservadora Theresa May, quanto o líder trabalhista, Jeremy Corbyn, desejaram boa sorte ao casal.  

Amiga do casa, a ex-primeira-dama americana Michelle Obama foi outra a festejar o nascimento. "Parabéns, Meghan e Harry! Barack e eu estamos tão felizes e mal podemos esperar para conhecê-lo", escreveu ela em uma rede social.  

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.