Premiê da Índia distribui celular de graça com seu aplicativo pré-instalado

App de Narendra Modi coleta dados de usuários para depois usá-los com fins eleitorais

Patrícia Campos Mello
Déli

Imagine que genial: distribuir milhões de celulares de graça para eleitores de baixa renda, com um aplicativo pré-instalado que coleta dados sobre essas pessoas e transmite mensagens políticas.

Pois é isso que acontece com o aplicativo Narendra Modi.

O premiê indiano Narendra Modi tira selfie em Ahmedabad - Amit Dave - 30.abr.2014/Reuters

Estados indianos começaram a distribuir aparelhos em programas de assistência, com o aplicativo NaMo pré-instalado. Em julho de 2018, o estado de Chhattisgarh lançou um programa para aumentar o acesso à internet, distribuindo celulares para 5 milhões. No Rajastão, o governo pretende fornecer celulares com internet para 10 milhões de jovens e famílias, cobrando apenas US$ 14.

O Jio, telefone barato com acesso à internet, permite baixar apenas alguns poucos aplicativos, como Facebook e Whats App, além do NaMo.

O NaMo compartilha com o partido BJP dados do usuário como nome, telefone e lista de contatos —a não ser que a pessoa ativamente restrinja o acesso a essas informações. Esses dados podem ser usados pelo partido para direcionar de forma mais eficiente suas mensagens.

A loja de aplicativos Android registra que mais de 10 milhões de pessoas já baixaram o NaMo. O presidente do BJP, Amit Shah, disse que o objetivo é chegar a 50 milhões.

“O NaMo oferece uma experiência única para os apoiadores de Modi, e permite ao primeiro-ministro se manter em contato com milhões de seguidores, voluntários e funcionários do partido”, disse à Folha Vijay Chauthaiwale, diretor de relações internacionais do BJP.

Antes de 2014, para evitar a mídia tradicional, o BJP passou a se comunicar diretamente com os eleitores pelas redes. Agora, o app próprio evita depender do filtro de WhatsApp, Twitter e Facebook.

Para analistas, o aplicativo, lançado em 2015, ainda não decolou como se esperava. Mas, com a vitória de Modi nas eleições, acredita-se que haverá novo impulso. O presidente menciona o app em seus discursos e até um livro distribuído pelo governo a estudantes propõe uso do aplicativo.

O BJP criou equipes para promover o aplicativo, com metas de 100 mil downloads para cada região.

Críticos apontam que o NaMo é promovido como o aplicativo oficial do primeiro-ministro, mas é administrado pelo partido dele, o BJP.

Em uma carta para a Comissão Eleitoral da Índia no início de abril, a Internet Freedom Foundation e outras organizações indianas alertavam para os possíveis abusos que poderiam ocorrer com a disseminação de aplicativos de partidos e candidatos (não se referia diretamente ao aplicativo de Modi).

“Os aplicativos de diversos partidos, que estariam recolhendo muitas informações para segmentar e microdirecionar, precisam ser monitorados e entrar nas regulamentações da Comissão Eleitoral”.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.